Redes sociais para quê?

Por Luciano Siqueira – Tudo bem que as redes sociais não são nem serão jamais o paraíso democrático que muitos acreditavam viessem a ser. Mas servem como bom meio de comunicação entre as pessoas, apesar de todas as imposições restritivas via algoritmos.

Continue lendo

Derrotar duas MPs

Por João Guilherme Vargas Netto – “A última grande iniciativa unitária do movimento sindical em 2019 foi a distribuição militante da “carteira de trabalho verde e amarela” que denunciava a retirada de direitos trabalhistas com a MP 905.”

Continue lendo

A militância nossa de cada época

Por Luciano Siqueira – “Certa vez, como ocorre com certa frequência, um grupo de estudantes me entrevistou demoradamente (no meu gabinete de vice-prefeito do Recife) acerca do período do regime militar”.

Continue lendo

Resoluções para um ano de eleição plebiscitária

Os objetivos são perenes, atrasados apenas por inimigos dos trabalhadores. Ainda que minoria, detêm o poder das armas e do dinheiro, mas não da soberania popular

Por Gilberto de Souza – Passe a viver mais perto daquilo que deseja para o país e o mundo. Integre uma gigantesca rede capaz de mudar os rumos políticos da nação. Reúna-se àqueles que conseguirão expulsar do poder quem explora os trabalhadores em benefício próprio ou de nações que visam a subserviência e a miséria da imensa maioria dos brasileiros.

Continue lendo

Êxito sindical

Por João Guilherme Vargas Netto – “Ao buscarem a base convencendo os trabalhadores da necessidade do sindicato e de seu papel devem ser valorizados aqueles temas de mobilização locais e específicos”

Continue lendo

Mais dos ricos, menos dos pobres

Por Frei Betto ‘O Brasil está entre os países com maiores desigualdades do mundo, por tributar proporcionalmente mais os pobres e menos os ricos. Os dados comprovam que a elite brasileira paga menos impostos que a classe média e a população de baixa renda.

Continue lendo

Irã: o alvo perfeito?

Por Elias Jabbour – Começo de forma direta a responder a questão proposta: sim! O Irã é o alvo perfeito para o próximo capítulo da tentativa de retomada da hegemonia norte-americana no mundo.

Continue lendo