A elevação na oferta de imóveis em Praia Grande

Arquivado em: Comércio, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 15 de setembro de 2020 as 18:13, por: CdB
Mercado de luxo (Pixabay)

Os imóveis representam uma porção significativa da riqueza da maioria das pessoas, e isso é especialmente verdadeiro para muitos proprietários de casas no Brasil, especialmente para quem deseja investir em imóveis na Praia Grande.

O tamanho e a escala do mercado imobiliário o tornam um setor atraente e lucrativo para muitos investidores, tanto que a busca por um apartamento na Praia Grande tem sido alvo de inúmeros investidores brasileiros e até mesmo do exterior.

Este artigo analisará alguns dos principais fatores que afetam o mercado imobiliário e a variedade de investimentos disponíveis, para que você pode entender o que tem contribuído com a elevação na oferta de imóveis em Praia Grande. Confira a seguir!

Potencial demográfico

Os dados demográficos são os dados que descrevem a composição de uma população, como idade, raça, sexo, renda, padrões de migração e crescimento populacional. Essas estatísticas são um fator frequentemente esquecido, mas significativo, que afeta como os imóveis são avaliados e quais tipos de propriedades estão em demanda. Grandes mudanças na demografia de uma nação podem ter um grande impacto nas tendências imobiliárias por várias décadas.

Por exemplo, os baby boomers nascidos entre 1945 e 1964 são um exemplo de tendência demográfica com potencial para influenciar significativamente o mercado imobiliário. A transição desses baby boomers para a aposentadoria é uma das tendências geracionais mais interessantes do século passado, e a aposentadoria desses baby boomers, que começou em 2010, deverá ser notada no mercado nas próximas décadas.

Existem inúmeras maneiras pelas quais esse tipo de mudança demográfica pode afetar o mercado imobiliário, mas para um investidor, algumas perguntas importantes podem ser: Como isso afetaria a demanda por segundas residências em áreas de férias populares à medida que mais pessoas começam a se aposentar? Ou, também,  como isso afetaria a demanda por casas maiores se a renda fosse menor e as crianças tivessem se mudado?

Essas e outras perguntas podem ajudar os investidores a restringir o tipo e a localização de investimentos imobiliários potencialmente desejáveis ​​muito antes do início da tendência – e são alguns dos fatores que têm influenciado a busca por imóveis em Praia Grande, no litoral de São Paulo.

Incentivos do Governo e/ou queda da taxa de juros

As taxas de juros também têm um grande impacto no mercado imobiliário. Se você está pensando em comprar uma casa financiada, é benéfico pesquisar as taxas de juros usando uma calculadora de hipoteca. Mudanças nas taxas de juros podem influenciar muito a capacidade de uma pessoa de comprar um imóvel residencial ou mesmo como segunda casa, no litoral. Isso ocorre porquê, quanto mais baixas forem as taxas de juros, menor será o custo de obter um financiamento para a compra de uma casa, o que cria uma maior demanda por imóveis, o que novamente pressiona os preços para cima.

É importante observar que à medida que as taxas de juros sobem, o custo para obter uma hipoteca aumenta, reduzindo a demanda e os preços dos imóveis. No entanto, ao observar o impacto das taxas de juros em um investimento de capital, como um fundo de investimento imobiliário, em vez de em imóveis residenciais, a relação pode ser considerada semelhante à relação de um título com as taxas de juros. Quando as taxas de juros caem, o valor de um título sobe porque seu sua busca se torna mais desejável e, quando as taxas de juros aumentam, o valor dos títulos diminui.

Da mesma forma, quando a taxa de juros diminui no mercado, os altos rendimentos se tornam mais atraentes e seu valor aumenta. Quando as taxas de juros aumentam, o rendimento de um imóvel se torna menos atraente e empurra seu valor para baixo.

É por isso que, para quem prefere não arcar com tantos juros, a compra de uma kitnet na Praia Grande tem se mostrado também um comportamento bastante atrativo.

A economia pode influenciar bastante!

Outro fator importante que afeta a oferta de imóveis é a saúde geral da economia. Isso geralmente é medido por indicadores econômicos como o PI , dados de emprego, atividade manufatureira, os preços dos bens, etc. Ou seja, de modo geral, quando a economia está lenta, o mercado imobiliário também está.

No entanto, a ciclicidade da economia pode ter efeitos variados em diferentes tipos de imóveis. Por exemplo, se um tipo de investimento imobiliário tem uma porcentagem maior de seus investimentos em hotéis, ele normalmente seria mais afetado por uma desaceleração econômica do que um grupo que investiu em edifícios de escritórios. Os hotéis são um tipo de propriedade muito sensível à atividade econômica devido ao tipo de arrendamento e estrutura inerente ao negócio.

Por essa razão, o aluguel de um quarto de hotel pode ser considerado uma forma de aluguel de curto prazo que pode ser facilmente evitado pelos clientes do hotel, caso a economia esteja mal. Por outro lado, os inquilinos de escritórios geralmente têm contratos de locação de longo prazo que não podem ser alterados no meio de uma crise econômica. Assim, embora deva estar atento a parte do ciclo em que se encontra a economia, também deve-se estar atento à sensibilidade do mercado imobiliário ao ciclo econômico.

Políticas e subsídios governamentais

 A legislação também é outro fator que pode ter um impacto considerável sobre a demanda e os preços dos imóveis. Créditos fiscais, deduções e subsídios são algumas das maneiras pelas quais o Governo pode aumentar temporariamente a demanda por imóveis. Estar ciente dos incentivos governamentais atuais pode ajudá-lo a determinar mudanças na oferta e demanda e identificar tendências potencialmente falsas. Por exemplo, em 2019, o governo brasileiro introduziu um crédito fiscal para o comprador de uma casa pela primeira vez para os proprietários em uma tentativa de impulsionar as vendas de casas em uma economia lenta.

Só esse incentivo fiscal levou dezenas de milhares de pessoas a comprar casas em todo o país. E essa política foi um aumento bastante expressivo, embora temporário, que contribuiu com o aquecimento do setor – algo que inclusive ajudou a fomentar o mercado no litoral paulista e mais precisamente em Praia Grande. É possível que agora, ao final de 2020, haja algum tipo de incentivo nesse sentido, uma vez que o Brasil se prepara para o novo normal após o fim do período de isolamento causado pelo coronavírus, o que pode levar muita gente a querer ter seu imóvel próprio na praia!

 Gostou destas informações sobre o que tem garantido o aumento de oferta de imóveis em Praia Grande? Aproveite e compartilhe este post em suas redes sociais!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *