Asteroide gigante se aproxima da Terra e pode atingir o Planalto Central

Arquivado em: Destaque do Dia, Energia, Meio Ambiente, Natureza, Últimas Notícias, Universo
Publicado domingo, 11 de agosto de 2019 as 14:35, por: CdB

Este, no entanto, não é o único corpo celeste que viaja na direção desta parte do Sistema Solar. Espera-se que o gigante conhecido por Asteroid 2019 OU, aproxime-se da Terra no dia 28 de agosto.

 

Por Redação, com Sputniknews – de Moscou

 

Agosto promete ser um mês cheio de asteroides se aproximando da Terra. Há alguns dias, cientistas descobriram que um grande corpo celeste, maior que o Empire State Building dos EUA, aproxima-se perigosamente da nossa órbita. Um dos pontos possíveis de impacto, caso venha a atingir o planeta, seria o Planalto Central do Brasil.

O asteroide que ruma para a terra tem as dimensões de um Empire State Building
O asteroide que ruma para a terra tem as dimensões de um Empire State Building

Este, no entanto, não é o único corpo celeste que viaja na direção desta parte do Sistema Solar. Espera-se que o gigante conhecido por Asteroid 2019 OU, aproxime-se da Terra no dia 28 de agosto a uma distância curta de apenas 0,00687 unidades astronômicas, ou mais de um milhão de quilômetros, afirmaram cientistas do Laboratório de Propulsão a Jacto (JPL) da NASA.

Estima-se que o objeto celeste da classe Apollo, que representa a maioria dos Objetos Potencialmente Perigosos (PHO), tenha uma largura de 150 metros e passe pelo nosso planeta com a velocidade de 13 quilômetros por segundo.

Onda de choque

A classe de asteroides Apollo agrupa os asteroides com órbitas próximas à da Terra. O exemplo mais famoso de um asteroide deste tipo é o meteorito que explodiu na atmosfera da Terra perto da cidade russa de Chelyabinsk em fevereiro de 2013.

Em consequência da explosão, mais de mil pessoas ficaram feridas, sobretudo por causa de vidros quebrados de janelas ou por causa da onda de choque.

Algumas semanas atrás, o asteroide denominado 2019 OK, de tamanho semelhante, passou perto da Lua. Considera-se que a rocha colossal tinha a potência de uma bomba atômica capaz de arrasar uma cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *