Ataque do Irã deixa soldados dos EUA feridos em base no Iraque

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 17 de janeiro de 2020 as 12:22, por: CdB

Os Estados Unidos prestaram tratamento a 11 soldados por sintomas de concussão após um ataque iraniano com mísseis a uma base iraquiana que abriga forças dos EUA.

Por Redação, com Reuters – de Washington

Os Estados Unidos prestaram tratamento a 11 soldados por sintomas de concussão após um ataque iraniano com mísseis a uma base iraquiana que abriga forças dos EUA, disseram os militares norte-americanos na quinta-feira, depois de inicialmente afirmarem que nenhum membro ficara ferido.

Soldados do EUA em local atingido por mísseis do Irã na base Ain al-Asad, no Iraque
Soldados do EUA em local atingido por mísseis do Irã na base Ain al-Asad, no Iraque

O ataque foi uma retaliação por um ataque de drones dos EUA em Bagdá em 3 de janeiro que matou Qassem Soleimani, comandante da Força Quds, da Guarda Revolucionária do Irã.

Os militares

O presidente Donald Trump e os militares dos EUA disseram que não houve vítimas após o ataque à base aérea de Ain al-Asad, no oeste do Iraque, e a uma instalação na região curda do norte.

– Embora nenhum militar dos EUA tenha sido morto no ataque iraniano de 8 de janeiro à base aérea de Al Asad, vários foram tratados por sintomas de concussão devido à explosão e ainda estão sendo avaliados – disse o capitão Bill Urban, porta-voz do Comando Central dos EUA, em comunicado.

Como medida de cautela, alguns militares foram levados para as instalações dos EUA na Alemanha ou no Kuweit para “triagem subsequente”, acrescentou.

– Quando considerados adequados para o serviço, espera-se que os membros retornem ao Iraque.

Cerca de 1,5 mil norte-americanos estavam posicionados na vasta base no deserto de Anbar, no Iraque.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *