Banco Central Europeu mantém portas abertas para estímulos na ZE

Arquivado em: Negócios, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 24 de outubro de 2019 as 09:55, por: CdB

A taxa de depósito do BCE, que atualmente é sua principal ferramenta de taxa de juros, permanece na mínima recorde de -0,50%.

Por Redação, com Reuters – de Londres

O Banco Central Europeu deixou inalterada a política monetária conforme o esperado nesta quinta-feira, mas manteve a porta aberta para ainda mais estímulos já que a economia da zona do euro continua sofrendo com as consequências da turbulência global.

Com a decisão desta quinta-feira, a taxa de depósito do BCE, que atualmente é sua principal ferramenta de taxa de juros, permanece na mínima recorde de -0,50%.

A partir do próximo mês, o BCE também começará a comprar ativos, principalmente dívida pública, a um ritmo de 20 bilhões de euros por mês
A partir do próximo mês, o BCE também começará a comprar ativos, principalmente dívida pública, a um ritmo de 20 bilhões de euros por mês

A taxa principal de refinanciamento, que determina o custo do crédito na economia, permaneceu em 0,00%, enquanto a taxa empréstimo de emergência para bancos continuou em 0,25%.

A partir do próximo mês, o BCE também começará a comprar ativos, principalmente dívida pública, a um ritmo de 20 bilhões de euros por mês.

Inflação

A inflação na zona do euro permanece em menos da metade da meta do BCE, a perspectiva econômica está piorando de novo e o apoio de autoridades à agressiva impressão de dinheiro de Mario Draghi nunca foi tão baixo.

Estagnação

A atividade empresarial da zona do euro teve apenas ligeira expansão em outubro uma vez que a demanda encolheu, de acordo com a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) divulgada nesta quinta-feira, em uma leitura decepcionante para o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi.

Em setembro, o BCE cortou sua taxa de depósito para território ainda mais negativo e disse que vai retomar seu programa de compra de ativos por tempo indefinido para reduzir os custos de empréstimos e estimular investimentos e crescimento na zona do euro.

Mas a leitura preliminar do PMI de outubro sugere que essas medidas ainda não influenciaram as empresas no setor privado.

O PMI Composto preliminar do IHS Markit ficou em 50,2 contra mínima de seis anos em setembro de 50,1 e ainda perigosamente próximo da marca de 50 que separa crescimento de contração. A expectativa em pesquisa da Reuters era de uma leitura de 50,3.

– A economia da zona do euro começou o quarto trimestre muito perto da estagnação, com o PMI preliminar indicando taxa trimestral de crescimento do PIB de pouco menos de 0,1% – disse Chris Williamson, economista-chefe do IHS Markit.

O PMI do setor de serviços foi a 51,8 de 51,6 em setembro, que havia sido a leitura mais fraca desde o início do ano. Economistas esperavam 51,9.

A indústria também teve um mês de outubro ruim e a atividade contraiu pelo nono mês seguido. O PMI repetiu a taxa de 45,7 de setembro, mínima que não era vista em sete anos e contra expectativa de 46,0.

Redação de juros na Turquia

O banco central da Turquia reduziu sua taxa de juros mais do que o esperado nesta quinta-feira, em 2,50 ponto percentual, para 14%, estendendo um ciclo de flexibilização com a inflação mais baixa e a lira mais estável após os Estados Unidos cancelarem as sanções contra uma ação militar na Síria.

O banco reduziu sua taxa de recompra de uma semana de 16,5% para 14%. A autoridade monetária cortou os juros agressivamente de 24% desde julho para ajudar a reanimar a economia turca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *