Brasil registra mais de 180 estupros por dia

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 11 de setembro de 2019 as 12:41, por: CdB

 

Foram reportados mais de 66 mil casos de violência sexual, número mais alto desde 2009. A maioria das vítimas é mulher, negra e tinha até 14 anos de idade. Feminicídios e violência doméstica também aumentaram.

Por Redação, com DW – de Brasília

O Brasil registrou 66.041 casos de violência sexual em 2018, o que representa uma média de mais de 180 estupros por dia, número mais alto desde 2009, quando houve a mudança na tipificação do crime no Código Penal brasileiro.

Manifestantes contrárias à violência contra a mulher em Brasília, em maio de 2016

Os dados fazem parte do 13º Anuário de Segurança Pública, produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e divulgado na terça-feira.

Entre as vítimas, 63,8% tinham até 14 anos – idade em que a pessoa é considerada juridicamente incapaz de consentir uma relação sexual. E mais da metade (54%) eram menores de 13 anos.

De acordo com a publicação, 81,8% das vítimas de estupro são do sexo feminino, e 18,2%, do sexo masculino. Quanto à raça, 50,9% são negras, 48,5% brancas e 0,6% amarelas.

Em relação à faixa etária das vítimas, 13 anos é a idade em que as meninas são mais vítimas de estupro, e sete anos, no caso dos meninos.

O levantamento

O levantamento mostra ainda que 75,9% dos agressores são conhecidos das vítimas. Do total de estupros registrados, 93,2% foram cometidos por um único abusador, e 6,8%, por mais de um. Entre os agressores, os homens são maioria (96,3%).

Crimes sexuais estão entre os menos reportados às autoridades. Segundo o anuário, só 7,5% das vítimas de violência sexual relatam o crime à polícia.

O levantamento também mostra um crescimento de 5% no número absoluto de feminicídios, e de 4% nos casos de violência doméstica, com 1.206 e 263.067 casos registrados, respectivamente. A estatística revela uma tendência contrária à queda verificada nos outros índices de violência, como o de homicídios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *