Bristol remove estátua de manifestante negra

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 16 de julho de 2020 as 11:05, por: CdB

Prefeito da cidade inglesa diz que peça foi colocada sem permissão em pedestal que abrigava escultura de comerciante de escravos derrubada em protesto antirracismo e que população deve decidir o que será feito no local.

Por Redação, com DW – de Bristol, Inglaterra

A estátua de uma manifestante negra de punho erguido foi retirada nesta quinta-feira, um dia depois ser colocada sem permissão na cidade de Bristol, no sudoeste da Inglaterra, informaram as autoridades locais.

Estátua de manifestante é retirada de pedestal em Bristol
Estátua de manifestante é retirada de pedestal em Bristol

A escultura, criada pelo artista britânico Marc Quinn, intitulada A Surge of Power (uma onda de poder) tinha sido instalada sobre o pedestal onde estava a de Edward Colston, comerciante de escravos do século XVII.

Segundo as autoridades, a estátua será colocada em um museu, para que seu autor possa recuperá-la ou doá-la ao acervo de arte municipal. A peça de aço representa a manifestante Jen Reid, uma mulher que foi fotografada com o punho levantado durante protestos antirracismo.

Sem permissão

O prefeito de Bristol, Marvin Rees, disse no Twitter que entendeu a necessidade de as pessoas “se expressarem”, mas que a estátua foi colocada no pedestal sem permissão e que deveria ser removida.

A imagem de Colston havia sido derrubada e jogada num rio no início de junho, no auge das manifestações antirracistas Black Lives Matter, após a morte no final de maio de George Floyd, um americano negro morto durante uma ação policial em Minneapolis, nos Estados Unidos, após ser imobilizado e um policial se ajoelhar durante quase nove minutos sobre seu pescoço.

As autoridades de Bristol insistiram que cabe a toda a cidade decidir o que deve substituir a estátua de Colston, que estava no pedestal desde 1895.

– A escultura (de Jen Reid) que foi instalada hoje foi obra e decisão de um artista de Londres – disse Rees na quarta-feira. “Não foi solicitada e não foi dada permissão para a instalação. O futuro do pedestal e do que deve ser instalado nele deve ser decidido pelo povo de Bristol.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *