China debate com OMS possível uso global de suas vacinas contra coronavírus

Arquivado em: Destaque do Dia, Saúde, Últimas Notícias, Vida & Estilo
Publicado terça-feira, 6 de outubro de 2020 as 11:27, por: CdB

A China está negociando uma avaliação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de suas vacinas contra covid-19 produzidas localmente, um passo para disponibilizá-las para uso global, disse uma autoridade da OMS nesta terça-feira.

Por Redação, com Reuters – de Cingapura/Genebra

A China está negociando uma avaliação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de suas vacinas contra covid-19 produzidas localmente, um passo para disponibilizá-las para uso global, disse uma autoridade da OMS nesta terça-feira.

Caixas com vacinas experimentais contra Covid-19 da Sinovac em Pequim
Caixas com vacinas experimentais contra Covid-19 da Sinovac em Pequim

Centenas de milhares de trabalhadores essenciais e outros grupos considerados de alto risco da China receberam vacinas desenvolvidas localmente mesmo antes de os testes clínicos terem sido finalizados, o que despertou temores de segurança entre especialistas.

Socorro Escalate, coordenadora de remédios essenciais e tecnologias de saúde da OMS para a região do Pacífico Ocidental, disse em uma coletiva de imprensa virtual que a China realizou conversas preliminares com a OMS para incluir suas vacinas em uma lista de uso emergencial.

O procedimento de inclusão na lista de uso emergencial da OMS permite que vacinas e tratamentos ainda sem licença sejam avaliados para acelerar sua disponibilidade em emergências de saúde pública. Isto ajuda os países-membros da entidade e agências de compra da Organização das Nações Unidas (ONU) a determinarem a aceitabilidade das vacinas.

Listagem de uso emergencial

– Potencialmente através do uso desta listagem de uso emergencial, a qualidade, a segurança e a eficiência destas vacinas poderiam ser analisadas… e depois isto poderia ser disponibilizado para nossos licenciados – disse Escalante.

A China tem ao menos quatro vacinas experimentais no estágio final dos testes clínicos. Duas são desenvolvidas pela China National Biotec Group (CNBG), que tem apoio estatal, e as outra duas são da Sinovac Biotech e da CanSino Biologics, respectivamente.

Elas estão sendo testadas em países como Paquistão, Indonésia, Brasil, Rússia e Emirados Árabes Unidos.

Serviços de saúde mental

Os serviços para pessoas mentalmente doentes e para pacientes de abuso de substâncias sofrem transtornos em todo o mundo em meio à pandemia de covid-19, e acredita-se que a doença causará mais sofrimento a muitos, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS) na segunda-feira.

Só 7% dos 130 países que responderam à pesquisa da OMS relataram que todos seus serviços de saúde mental continuam funcionando normalmente, e 93% relataram serviços limitados devido a vários distúrbios, disse a entidade.

– Achamos que este é um aspecto esquecido da Covid-19, de certa forma parte dos desafios que enfrentamos é que esta é uma área historicamente subfinanciada – disse Dévora Kestel, diretora do Departamento de Saúde Mental e de Abuso de Substâncias da OMS, em uma entrevista coletiva.

Só 17% dos países proporcionaram um financiamento adicional para implantar atividades de apoio às necessidades de saúde mental crescentes durante a pandemia, disse ela.

– Estimamos, e informações preliminares estão nos dizendo, que pode haver um aumento de pessoas com problemas relacionados a saúde mental e neurológica e abuso de substâncias que precisarão de atenção – detalhou Kestel.

Altas de suicídio

Mas a OMS não tem dados sobre consequências possivelmente fatais, como taxas mais altas de suicídio, ataques epilépticos ou dependência de opiáceos sem assistência que poderia levar a overdoses, disse.

Muitos países, especialmente de renda baixa, mantiveram os serviços de saúde mental oferecidos em hospitais convencionais que permaneceram abertos, mas muitos pacientes enfrentaram outras dificuldades, disse a OMS em sua primeira avaliação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *