Chuva adia plantio de árvores da Mata Atlântica em parque do Rio

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 5 de junho de 2019 as 14:15, por: CdB

As mudas seriam plantadas por atores do projeto Manual para o Futuro Legal em áreas que foram degradadas pelas últimas tempestades e em outros locais do parque, onde também é necessário replantio.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

A chuva que cai no Rio de Janeiro desde segunda-feira adiou para a próxima semana o plantio de árvores no Parque da Catacumba, Zona Sul da cidade, que estava previsto para esta quarta-feira, quando se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente. As mudas seriam plantadas por atores do projeto Manual para o Futuro Legal em áreas que foram degradadas pelas últimas tempestades e em outros locais do parque, onde também é necessário replantio.

A chuva que cai no Rio de Janeiro desde segunda-feira adiou para a próxima semana o plantio de árvores no Parque da Catacumba

– Com a terra encharcada, não dá para fazer o plantio. Não se planta nessas condições de solo – disse à Agência Brasil a produtora cultural Áurea Bicalho Guimarães, idealizadora do projeto. O adiamento foi decidido também por uma questão de segurança para o elenco envolvido no plantio de mudas de árvores nativas da Mata Atlântica.

Serão plantadas 50 mudas de árvores, o suficiente para neutralizar o gás carbônico emitido, que está em fase de declínio no parque. São mudas frutíferas de pitanga, cajá-manga, cajá-mirim, tamarindo, jambo rosa, nêspera e abiu amarelo. As mudas já estão na administração do parque. No ano passado, o projeto plantou mais de 200 mudas. Para o próximo semestre, estão programadas mais de 100 mudas, que são adquiridas no horto da própria prefeitura, em parceria com o Parque da Catacumba. A escolha desse parque se deu devido à existência de muitas plantas exóticas em suas encostas.

– Quanto mais se conseguir trocar o que tem ali de exótico, que não é nativo, por plantas nativas, até rasteiras, melhor para esse cinturão verde e para evitar novos desabamentos – afirmou Áurea. “Cada nova muda nativa, melhor”.

A equipe do projeto pretende deixar o solo preparado para que os frequentadores do parque também possam plantar novas mudas no local.

Cultura e educação ambiental

O projeto Manual para o Futuro Legal é um projeto que leva teatro, educação e meio ambiente de forma gratuita a escolas públicas e privadas do Rio.

As instituições que quiserem receber a iniciativa já podem se inscrever para o próximo semestre pelo telefone (21) 99601-9207 ou pelo e-mail[email protected] O agendamento será encerrado com o preenchimento das vagas.

Até o fim deste semestre o projeto fará 40 apresentações em 26 escolas, beneficiando 5 mil estudantes do primeiro ao quinto anos do ensino fundamental. Ainda não foi fechado o total de apresentações para os próximos seis meses. De maneira geral, é feita uma apresentação gratuita por escola, com o mínimo de 100 alunos. Esta é a quinta edição do projeto, em que, por meio de uma peça teatral, as crianças são convidadas a viajar para a pré-história, onde têm contato com um pterodáctilo e um tiranossauro-rex, que pegam carona na bagagem dos atores e viajam com eles até ol século 21.

Cultura, educação e meio ambiente se misturam e encantam as crianças. O texto do espetáculo é de Gustavo Bicalho, que também assina a direção artística em parceria com Henrique Gonçalves. O projeto inclui ainda uma palestra em forma de bate-papo sobre fontes de energia, água, gestão de resíduos, florestas e consumo consciente, dada pelos próprios atores após a apresentação. “As crianças ficam encantadas, envolvem-se e são estimuladas a fazer perguntas”, disse Áurea. Segundo a produtora cultural, as palestras complementam o que os alunos aprendem na escola.

Áurea informou que, no ano que vem, o espetáculo deve ser levado para adolescentes, a partir do quinto ano do ensino fundamental. Nas cinco edições do projeto Manual para o Futuro Legal, foram atendidos cerca de 40 mil estudantes de mais de 300 escolas.

Teatro de animação

Segundo a assessoria de imprensa do projeto, a história é contada por meio de teatro de animação, com bonecos ricos em detalhes e expressões. “O cenário foi montado sobre bancadas com 4,5 metros de comprimento e reproduz a Terra há 65 milhões de anos. Em segundos, as bancadas são giradas, e o tempo vira o presente. Todo desmontável, o cenário foi especialmente desenvolvido para ser levado a diversos espaços físicos nas escolas, tanto teatros e auditórios quanto pátios e quadras cobertas, sem perder as características necessárias ao trabalho cênico teatral”, revelou a assessoria.

– As atividades possibilitam diversos desdobramentos em sala de aula, oferecendo aos professores uma oportunidade lúdica de abordar esses assuntos, essenciais para a formação dos futuros cidadãos – afirmou Áurea Guimarães, que é professora de português e literatura. A peça e a palestra podem ser vistas em vídeo no site’do projeto (www.manualparaofuturolegal.com.br).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *