Covid-19: autoridade alemã alerta contra imprudência

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 28 de julho de 2020 as 14:40, por: CdB

Após semanas de estabilidade, infecções voltam a subir no país. Presidente do Instituto Robert Koch se diz preocupado e afirma que muitas pessoas estão ficando descuidadas com medidas de distanciamento e proteção.

Por Redação, com DW – de Berlim

Após semanas de números relativamente baixos, as infecções pelo novo coronavírus voltaram a subir na Alemanha, deixando as autoridades em alerta para uma possível segunda onda da doença no país.

Visitantes lotam parque em Berlim
Visitantes lotam parque em Berlim

– Estou muito preocupado com os últimos desenvolvimentos no número de casos – disse o presidente do Instituto Robert Koch (RKI), Lothar Wieler, nesta terça-feira, em Berlim. “Agora temos que impedir que o vírus se espalhe novamente de forma rápida e descontrolada”, acrescentou.

Segundo o RKI, responsável pela prevenção e controle de doenças na Alemanha, o país vinha mantendo por semanas estável o número de novos casos, com uma média diária de 300 a 500. Porém, nos últimos dias, essa tendência não se manteve. Nesta terça-feira, foram 633, na sexta-feira haviam sido cerca de 815 casos e no sábado, mais de 700. Nos últimos sete dias, foram reportadas 3.611 novas infecções.

Para Wieler, muitas pessoas estão ficando negligentes e deixando de aderir às recomendações de higiene e distanciamento social e de usar máscara. De acordo com o presidente do RKI, o controle da situação só será possível se todos fizerem a sua parte. Por isso, ele apelou aos cidadãos alemães não deixem os cuidados de lado, apesar das férias de verão.

Wieler também destacou que celebrar milhares de festas é “imprudente” e “negligente”, já que os jovens podem se infectar e contaminar seus pais e avós. A Alemanha vem registrando festas ilegais, realizadas em áreas afastadas das cidades, como parques. No fim de semana, uma delas foi encerrada pela polícia em Berlim.

– Estamos no meio de uma pandemia em rápido desenvolvimento – reforçou Wieler.

As infecções

Em contraste com as últimas semanas, quando grandes surtos localizados foram registrados, como no frigorífico Tönnies, agora a situação é difusa, se estendendo por diferentes cidades e regiões, afirma Ute Rexroth, chefe do departamento de vigilância do RKI.  Segundo Rexroth, as infecções ocorrem em todos os tipos de ambiente, desde celebrações familiares, reuniões entre amigos e no trabalho até acomodações comunitárias, asilos e unidades de saúde.

A Alemanha vive o período de férias de verão, quando muitas pessoas viajam para o exterior, principalmente para a Espanha, onde os casos também tiveram uma escalada nos últimos dias. No entanto, o instituto explica que embora existam casos de pessoas que adquiriram o coronavírus no exterior, a maioria é de infecções locais.

Vários países da Europa

Como a Alemanha, vários países da Europa que já pareciam estar no controle da epidemia tiveram um número crescente de casos nos últimos dias, levando à reindrodução de medidas de restrição. Temendo surtos no país na volta das férias, o governo alemão anunciou na segunda-feira que pretende tornar obrigatório o teste do novo coronavírus para viajantes que retornem ao país vindos de territórios considerados de risco.

– Temos que evitar que quem volta do exterior infecte outros sem saber, desencadeando um surto – disse o ministro da Saúde alemão, Jens Spahn, ao defender a imposição da obrigatoriedade do exame. A medida deve entrar em vigor na próxima semana.

Atualmente, a Alemanha lista quase 140 países como área de risco, incluindo Estados Unidos e Brasil. Além de aeroportos, os testes deverão ser oferecidos gratuitamente em estações de trem e postos da fronteira.

No total, a Alemanha registra  206.242 casos do novo cornavírus e 9.122 mortes em decorrência da covid-19, informou o RKI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *