Covid-19: França intensifica uso obrigatório de máscaras

Arquivado em: Europa, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 16 de julho de 2020 as 10:53, por: CdB

Após ministro da Saúde apontar sinais de “ressurgimento” da epidemia de covid-19 no país, premiê anuncia que uso de proteção facial será exigido em espaços públicos fechados, como lojas, a partir da semana que vem.

Por Redação, com DW – de Paris

A França antecipou os planos de tornar obrigatório o uso de máscaras em locais públicos fechados para impedir a transmissão do novo coronavírus. A medida entrará em vigor a partir da próxima semana, e não mais somente em 1º de agosto, como previsto inicialmente, anunciou nesta quinta-feira o primeiro-ministro Jean Castex.

O presidente Emmanuel Macron, de máscara, nas eleições municipais em 28 de junho
O presidente Emmanuel Macron, de máscara, nas eleições municipais em 28 de junho

Obrigatórias no transporte público desde 11 de maio, máscaras passarão a ser exigidas também em lojas e em outros espaços fechados, disse Castex em uma audiência no Senado.

– Usar máscara, juntamente com medidas de barreira [como distanciamento social e lavar as mãos regularmente], é um método eficiente de prevenção e proteção – disse o premiê, apontando que implementar a medida somente em 1º de agosto pareceu “tarde” para muitos.

O anúncio foi feito por Castex após o ministro da Saúde francês, Olivier Veran, apontar sinais de um “ressurgimento” da epidemia de coronavírus, que provocou mais de 30 mil mortes no país.

– Estamos vendo sinais fracos de um ressurgimento epidêmico em certos hospitais de Paris, e é por isso que eu peço que os franceses permaneçam vigilantes, ativos contra o vírus – disse o ministro a uma emissora de rádio.

Segundo dados oficiais divulgados nesta quarta, a França teve 133 novos pacientes de coronavírus hospitalizados em 24 horas , além de 17 pessoas internadas em UTIs, totalizando 482. Em abril, o país chegou a ter 4.281 hospitalizações num dia e mais de 7,1 mil pessoas internadas em UTIs no auge da epidemia.

Veran disse que um aumento das admissões hospitalares e das chamadas telefônicas para os serviços de emergência são indicadores, ainda não preocupantes, que requerem “atenção especial” para a possibilidade de uma retomada da epidemia.

Surtos

A França registra atualmente alguns surtos localizados de covid-19. Em seis comunas do departamento de Mayenne, no noroeste do país, que reportaram alta nas infecções, o uso de máscaras passou a ser obrigatório em locais públicos já na quarta-feira.

Um dos países mais duramente atingidos pela covid-19 na Europa, a França adotou rígidas medidas de confinamento a nível nacional durante semanas para conter a doença.

Enquanto ajudaram a achatar a curva de infecção, as ordens de permanência em casa causaram o que Castex descreveu nesta quinta-feira como uma severa recessão. Segundo o premiê, a previsão é de que a economia sofra contração de 11% em 2020.

Embora a maioria dos negócios na França tenha reaberto, algumas atividades de grupo permanecem restritas, e o governo continua pedindo que os franceses se comportem de forma responsável para evitar uma segunda onda de infecção.

Nesta quinta-feira, o presidente Emmanuel Macron afirmou que pretende tornar testes para covid-19 disponíveis para todos os franceses, sem a necessidade de indicação médica.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *