Crise do Brexit se aprofunda em dia de votação no Parlamento

Arquivado em: Europa, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 13 de março de 2019 as 10:51, por: CdB

A instabilidade deixa a quinta maior economia do mundo diante de uma série de possíveis cenários: sair da UE sem um acordo de transição; atrasar a data da separação marcada para 29 de março.

Por Redação, com Reuters – de Londres

Os deputados infligiram uma nova derrota a Theresa May, nesta quarta-feira, rejeitando por 312 a 308 votos a ideia de a Grã-Bretanha deixar a UE sem um acordo e abrir caminho para que o Brexit seja atrasado. Depois que o acordo do primeiro-ministro foi fortemente rejeitado pela segunda vez na terça-feira, ela anunciou uma moção do governo proibindo o Brexit em 29 de março – derrubando sua política de longa data de se recusar a descartá-lo.

May prometeu aos parlamentares uma votação livre, mas a moção foi cuidadosamente redigida, com a sentença final declarando que “deixar sem um acordo continua a ser o padrão na lei do Reino Unido e da UE a menos que esta casa e a UE ratifiquem um acordo”.

Broches anti-Brexit presos em chapéu de manifestante em frente ao Parlamento britânico, em Londres

Na terça-feira, parlamentares britânicos impuseram à primeira-ministra, Theresa May, uma segunda derrota humilhante para seu plano do Brexit acertado com a UE, mergulhando o país mais fundo na crise política.

A instabilidade deixa a quinta maior economia do mundo diante de uma série de possíveis cenários: sair da UE sem um acordo de transição; atrasar a data da separação marcada para 29 de março; May poderia realizar uma eleição repentina ou tentar, pela terceira vez, que seu acordo seja aprovado; ou o Reino Unido poderia realizar outro referendo sobre o Brexit.

Acordo

Espera-se que o Parlamento rejeite nesta quarta-feira um Brexit sem acordo, em uma votação às 16h (horário de Brasília), embora isso não tenha força legal. Na quinta-feira, será votado se Londres deve pedir à UE uma prolongação do prazo do Brexit, algo com o qual todos os outros 27 membros do bloco devem concordar.

O negociador da União Europeia para o Brexit, Michel Barnier, disse que o bloco precisaria saber por que o Reino Unido gostaria de ampliar as negociações, e que Londres deveria encontrar uma saída para o impasse.

– Se o Reino Unido ainda quiser sair da UE de maneira ordenada, este tratado é, e continuará sendo, o único tratado possível – disse Barnier ao Parlamento Europeu em Estrasburgo.

No entanto, a posição padrão, se nada mais for acordado, permanece sendo que o Reino Unido sairá sem acordo em 29 de março, um cenário que líderes empresariais alertam que traria caos aos mercados e cadeias de fornecimento, e outros críticos dizem que poderia causar escassez de alimentos e medicamentos.

Defensores do Brexit argumentam que, embora uma separação sem acordo possa trazer alguma instabilidade de curto prazo, a longo prazo isso permitiria ao Reino Unido prosperar e elaborar acordos comerciais em todo o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *