Cuidado, está muito fácil!

Arquivado em: Opinião, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 17 de abril de 2019 as 09:17, por: CdB

A ciência e a vida me ensinaram que não há obstáculo intransponível e tampouco adversário fácil de derrotar, o que nos obriga a não subestimar o oponente, mesmo diante de uma eventual fragilidade, como atualmente se encontra o governo Bolsonaro.

Por Eron Bezerra – de Brasília

O xadrez, desenvolvido por estrategistas chineses, é a tradução esportiva mais explícita desse fundamento científico. Nos ensina a perseguir 3 regras básicas: determinação, não subestimação do adversário e jamais fazer movimentos desnecessários.

A ciência e a vida me ensinaram que não há obstáculo intransponível e tampouco adversário fácil de derrotar

Bolsonaro, certamente, não pratica esse esporte pois seu governo é a negação extremada desses fundamentos, o que tem feito com que muitos, inclusive da esquerda, comecem a vaticinar que “seu governo tem os dias contados”.

Os fatos para induzir a essas conclusões são, de fato, abundantes, mas esses analistas não levam em conta quem colocou Bolsonaro no governo.

E é a partir dessa “euforia” que me permito fazer o alerta: cuidado, está fácil demais, o que pode nos levar a cometer os 3 erros fatais de um combate, ou seja, relaxar, subestimar o adversário e perder o foco do que é principal.

A euforia tem certa base objetiva. Afinal, nem mesmo o mais otimista dos oposicionistas poderia imaginar que em 3 meses de governo haveria tanta lambança e degradação moral de um governo.

Degradação que atinge todos os aspectos e se multiplicam em todos os terrenos, da corrupção ao servilismo diante dos Estados Unidos – algo que até mesmo os ditadores procuraram manter certa descrição, e se espraia para a ineficiência administrativa, para a estupidez nas relações internacionais, para os ataques à nossa soberania e aos direitos do povo. Tudo isso pode alimentar a expectativa de que seu governo não concluirá o mandato.

Mas, uma vez mais, destaco que o principal, aquilo que o império norte-americano e seus operadores brasileiros determinaram que ele fizesse, seu governo tem se empenhado em executar, como a reforma da previdência e a autonomia do Banco Central, pelo qual os especuladores financeiros, que hoje embolsam quase 50% do orçamento público, passam a ter segurança de que continuarão saqueando o país enquanto o aposentado irá morar debaixo da ponte.

É preciso ter clareza da complexidade da luta, sem o que ficará mais difícil derrotar o adversário. E é foco que nós não podemos perder de vista.

Eron Bezerra, é professor da UFAM, Doutor em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia, Coordenador Nacional da Questão Amazônica e Indígena do Comitê Central do PCdoB.

As opiniões aqui expostas não representam necessariamente a opinião do Correio do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *