Diretor de associação substitui técnico Halilhodzic no comando da seleção do Japão

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 9 de abril de 2018 as 14:10, por: CdB

Nishino, que passou 10 temporadas a cargo do Gamba Osaka e se tornou diretor técnico da JFA em 2016, terá pouco tempo para se preparar para o torneio da Rússia, no qual o Japão atuará no Grupo H ao lado de Colômbia, Polônia e Senegal

Por Redação, com Reuters – de Tóquio/Londres:

O diretor da Associação de Futebol do Japão (JFA, na sigla em inglês), Akira Nishino, substituirá Vahid Halilhodzic como técnico da seleção a meros dois meses da Copa do Mundo, informou a entidade nesta segunda-feira.

Akira Nishino

Nishino, que passou 10 temporadas a cargo do Gamba Osaka e se tornou diretor técnico da JFA em 2016, terá pouco tempo para se preparar para o torneio da Rússia, no qual o Japão atuará no Grupo H ao lado de Colômbia, Polônia e Senegal.

O Japão tem três amistosos agendados antes de estrear no Mundial diante dos colombianos em 19 de junho.

Halilhodzic, que assumiu em maio de 2015, levou a seleção à sua sexta Copa consecutiva quando esta terminou as eliminatórias asiáticas na liderança do Grupo B, adiante de Arábia Saudita e Austrália.

Mas um empate com o Mali e uma derrota para a Ucrânia em amistosos do mês passado não ajudaram a diminuir as preocupações com a atuação do elenco neste ano e aumentaram a pressão sobre o treinador de 65 anos.

– Depois que nos classificamos para a Copa do Mundo, marcamos alguns amistosos, mas finalmente decidimos demitir Halilhodzic dois dias atrás – disse o presidente da JFA, Kozo Tashima, em uma coletiva de imprensa lotada nesta segunda-feira.

– Não decidimos isto só por causa dos resultados dos jogos ou por causa das reportagens, mas é claro que ouvimos as vozes dos jogadores… depois das partidas com o Mali e a Ucrânia, o relacionamento entre os técnicos e os jogadores se diluiu.

Manchester City

As comemorações do título do Manchester City na liga inglesa foram adiadas após o rival Manchester United conseguir reverter o placar quando estava perdendo por dois gols e vencer o derby local por 3 a 2 no Etihad Stadium, no sábado.

Uma vitória do City teria garantido o título, mas a primeira derrota em casa no campeonato nesta temporada deixa o time de Pep Guardiola com 13 pontos de vantagem a seis rodadas do final.

Com o Manchester United reduzindo a diferença, o City precisa vencer dois dos últimos jogos para garantir o título. Embora pareça garantido o campeonato, foi um golpe amargo depois da derrota de quarta-feira, por 3-0, para o Liverpool, na primeira partida dos quartas-de-final da Liga dos Campeões.

– No futebol qualquer coisa pode acontecer, é a primeira vez que perdemos dois jogos seguidos nesta temporada e agora temos que nos recuperar e tentar novamente, voltar ao básico e ganhar jogos. Vamos tentar na terça e nos próximos jogos – disse Guardiola.

Com um olho no jogo de volta na terça-feira, o espanhol deixou várias titulares no banco de reservas. No entanto, a equipe abriu 2-0 em apenas meia hora, com gols de Vincent Kompany e Ilkay Guendogan, e desperdiçou várias outras oportunidades para ampliar a vantagem.

Mas Paul Pogba fez dois gols no início do segundo tempo e Chris Smalling fechou o placar aos 24 minutos.

– Se eles tivessem vencido, seriam campeões, para todos os torcedores seria como a morte. Perder para o City e vê-los comemorar, eu não poderia deixar isso acontecer”, disse Pogba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *