Dólar opera em queda contra moeda brasileira

Arquivado em: Negócios, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 11 de outubro de 2019 as 13:47, por: CdB

Às 10:48, o dólar recuava 0,27%, a R$ 4,1124 na venda. Na véspera, o dólar à vista subiu 0,48%, a R$ 4,1236 na venda.

Por Redação, com Reuters – de São Paulo

O dólar operava em queda contra o real nesta sexta-feira, em mais um dia de potencial volatilidade no mercado doméstico de câmbio, com operadores monitorando fatores relacionados à cena política interna, em meio a expectativas positivas acerca das negociações comerciais entre Estados Unidos e China no exterior.

Às 10:48, o dólar recuava 0,27%, a R$ 4,1124 na venda. Na véspera, o dólar à vista subiu 0,48%, a R$ 4,1236 na venda. Na B3, o dólar futuro tinha ganho de 0,04%, a R$ 4,117.

Na véspera, o dólar à vista subiu 0,48%, a R$ 4,1236 na venda
Na véspera, o dólar à vista subiu 0,48%, a R$ 4,1236 na venda

Para Jefferson Laatus, apesar dos mercados externos demonstrarem otimismo com expectativas de avanço nas negociações comerciais entre EUA e China, agentes do mercado se mantinham de olho no cenário doméstico, especialmente nos conflitos envolvendo o presidente Jair Bolsonaro e seu partido, o PSL.

– É uma situação que tende a trazer riscos futuros e, desde já, tem atraído incertezas. De certa forma, isso tende a enfraquecer toda a base do governo e há temores de que isso afete a agenda de reformas – afirmou Laatus.

Nesta semana, Bolsonaro chegou a dizer a um apoiador que esquecesse o PSL e que o presidente do partido, deputado federal Luciano Bivar (PE), estava “queimado”.

Advogados ligados ao presidente disseram na quarta-feira que ele está “desconfortável” na legenda e o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, afirmou que Bolsonaro não deixaria a legenda de “livre e espontânea vontade”. Também na quarta, Bolsonaro minimizou a crise e disse que “por enquanto” segue no PSL.

– A volatilidade está garantida. O mercado vai ficar ponderando ao longo da sessão qual dos dois fatores (interno ou externo) pesa mais e isso pode facilmente mudar o sinal da moeda – disse Laatus.

Nesta sessão, o BC vendeu todos os 10.500 contratos de swap cambial reverso ofertados e ainda US$ 525 milhões em dólar à vista, de oferta de US$ 525 milhões.

Na cena externa, o cenário era em geral de fraqueza do dólar contra suas divisas, em dia de maior apetite por risco nos mercados na esteira de declarações do presidente dos EUA, Donald Trump, de que as conversas entre autoridades norte-americanas e da China na quinta-feira caminharam “muito bem” e ambos os lados tiveram uma negociação “muito, muito boa”.

A expectativa é que ambos os lados possam chegar a um acordo parcial, que permita adiar o aumento de tarifas dos EUA agendado para a próxima semana.

Wall Street avança

Wall Street subia pela terceira sessão consecutiva nesta sexta-feira, com investidores esperançosos de que as negociações comerciais de alto nível entre Estados Unidos e China possam resultar em um acordo comercial parcial, de forma a adiar o aumento planejado de tarifas dos EUA sobre produtos chineses.

Às 11:54 (horário de Brasília), o índice Dow Jones .DJI subia 1,49%, a 26.891 pontos, enquanto o S&P 500 .SPX ganhava 1,540436%, a 2.983 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq .IXIC avançava 1,82%, a 8.095 pontos.

As ações da Apple (AAPL.O) atingiram máxima recorde e davam o maior impulso para o S&P 500 e o Nasdaq, enquanto o setor de tecnologia .SPLRCT caminhava para seu melhor dia em cinco semanas.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que as negociações comerciais estavam indo bem e que ele irá se encontrar com o vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, ao longo do dia. As negociações de alto nível entram em seu segundo dia nesta sexta-feira.

Analistas disseram que os mercados acionários estão sedentos por algum tipo de avanço nesta rodada de negociações.

– Nos últimos dois meses, vimos empresas afetadas pela incerteza em torno do comércio e os mercados vão procurar pistas para eliminar essa incerteza – disse Scott Brown, economista-chefe da Raymond James.

– Ainda está sendo um passo para frente e dois passos para trás com as negociações, mas há esperanças de uma melhora – acrescentou.

Os índices S&P 500 e Dow Jones caminhavam para interromper uma série de três semanas de perdas devido ao otimismo crescente de que as duas principais economias do mundo poderão se acalmar antes que mais tarifas dos EUA entrem em vigor na próxima semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *