Dólar recua e a B3 avança com maior otimismo sobre reforma da Previdência

Arquivado em: Comércio, Indústria, Negócios, Serviços, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 4 de julho de 2019 as 14:43, por: CdB

O presidente do colegiado, deputado Marcelo Ramos (PL-AM) confirmou a expectativa de aprovação da proposta, ao longo do dia, o que de fato ocorreu por 36 votos a favor e 13 contra e nenhuma abstenção.

 

Por Redação – de São Paulo

 

O dólar caía ante o real nesta quinta-feira, com otimismo no mercado em relação à aguardada votação do relatório sobre a reforma da Previdência, aprovado na comissão especial da Câmara dos Deputados, em dia de mercados fechados nos Estados Unidos devido a feriado nacional.

 O texto-base da reforma da Previdência foi aprovado na comissão especial da Câmara dos Deputados e segue para o Plenário da Casa
O texto-base da reforma da Previdência foi aprovado na comissão especial da Câmara dos Deputados e segue ao Plenário da Casa

Às 10h21, o dólar recuava 0,65%, a R$ 3,8017 na venda. Mais cedo, na mínima do pregão, o dólar tocou R$ 3,7928, menor patamar desde 18 de março, quando fechou a R$ 3,7916 na venda. Na véspera, o dólar recuou 0,74%, a R$ 3,8264 na venda. Neste pregão, o dólar futuro cedia 0,65%.

Em sessão marcada pelo feriado do Dia da Independência nos EUA, agentes financeiros se voltavam com otimismo para a votação da proposta de reforma da Previdência na comissão especial.

Votos

Pouco após as 10h desta quinta-feira, a sessão na comissão especial, em que foi votado o texto, foi aberta. Pouco antes, o presidente do colegiado, deputado Marcelo Ramos (PL-AM) o presidente do colegiado, deputado Marcelo Ramos (PL-AM) confirmou a expectativa de aprovação da proposta, ao longo do dia, o que de fato ocorreu por 36 votos a favor e 13 contra e nenhuma abstenção.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que já há os votos necessários para aprovar a reforma da Previdência no Plenário da Casa. Com isso, crescem as possibilidades de que o texto seja votado antes do início do recesso parlamentar, em 18 de julho, como era almejado pelo governo e por Maia.

— O mercado tem razão para estar otimista. Se o presidente da comissão está falando, é porque de fato isso deve acontecer agora de manhã. Maia também falou que está dado como certa a quantidade de votos — avaliou o operador de câmbio da Advanced Corretora Alessandro Faganello.

Dovish

Segundo Faganello, caso o texto seja aprovado na comissão especial e, em seguida, no Plenário da Câmara antes do recesso, o câmbio poderá ver uma mudança de patamar. Já nesta quinta-feira, a moeda está testando quebrar a barreira dos R$ 3,80.

Somando ao bom humor com a cena local, o real, assim como outras moedas emergentes, também era beneficiado neste pregão por esperanças de cortes de juros nos EUA, após dados econômicos mornos que somam à pressão sobre o Federal Reserve para que a autoridade atue neste sentido.

Investidores trazem no radar a divulgação dos dados de criação de vagas de trabalho na sexta-feira. Também corrobora para o sentimento a percepção de que a indicação de Christine Lagarde para o comando do Banco Central Europeu manterá a autoridade monetária europeia em um caminho dovish.

Ibovespa

O Ibovespa avançava mais de 1% esta quinta-feira, renovando recorde intradia, diante da possibilidade de votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência em comissão especial da Câmara dos Deputados nesta sessão.

Às 11h05, o Ibovespa subia 1,36 %, a 103.429,85 pontos, em sessão que tende a ter a liquidez reduzida por feriado nos Estados Unidos. O volume financeiro somava X bilhões de reais.

Nos EUA, as bolsas não funcionam em razão do feriado do Dia da Independência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *