Dólar recua contra o real de olho no Fed

Arquivado em: Negócios, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 21 de agosto de 2019 as 11:47, por: CdB

Às 10:46, o dólar recuava 0,63%, a R$ 4,0261 na venda. Na véspera, o dólar caiu 0,40%, a R$ 4,0516 na venda.

Por Redação, com Reuters – de São Paulo

A moeda norte-americana se desvalorizava frente ao real nesta quarta-feira, com agentes do mercado de olho nas sinalizações do Federal Reserve (Fed) sobre o futuro da taxa de juros dos Estados Unidos, em dia marcado pelo início dos leilões simultâneos de venda de dólar à vista e de contratos de swap cambial reverso pelo Banco Central do Brasil.

Às 10:46, o dólar recuava 0,63%, a R$ 4,0261 na venda. Na véspera, o dólar caiu 0,40%, a R$ 4,0516 na venda.

Às 10:46, o dólar recuava 0,63%, a R$ 4,0261 na venda. Na véspera, o dólar caiu 0,40%, a R$ 4,0516 na venda.Neste pregão, o dólar futuro tinha perdas de 0,7%.

Além da divulgação da ata da última reunião de política monetária do Fed mais tarde nesta quarta-feira, as atenções se voltam também para o discurso do chairman do Fed, Jerome Powell, no simpósio anual de Jackson Hole na sexta-feira, onde várias autoridades se reunirão para discutir as questões atuais da economia mundial.

– Não é esperado que a ata do Fed dê muitas dicas sobre o que está por vir. Toda expectativa está em torno da fala do Powell, no entanto, é preciso atenção aos detalhes que a ata pode vir a evidenciar – disse o operador de câmbio da Advanced Corretora Alessandro Faganello.

Na cena doméstica, o Banco Central vendeu US$ 200 milhões em moeda física nesta quarta-feira, na primeira injeção direta de liquidez no mercado de câmbio spot em mais de uma década. A oferta total era de até US$ 550 milhões.

O BC negociou ainda quatro mil contratos de swap cambial reverso — nos quais assume posição comprada em dólar. A oferta total era de até 11 mil papéis.

Ambas as operações fazem parte da intenção do BC de trocar posição cambial do mercado de derivativos para o à vista, conforme anunciado na semana passada.

Segundo Faganello, o mercado ainda está se posicionando para entender melhor a atuação do BC e a queda tímida reflete um sentimento de cautela.

– Ninguém quer assumir muita posição em dólar e acabar tomando prejuízo lá na frente – afirmou.

A venda de dólares à vista foi anunciada na semana passada, conforme o dólar disparava em meio à escassez de liquidez no mercado spot, o que se refletiu em fortes altas nas taxas de cupom cambial —juro em dólar.

Na terça-feira, o economista Silvio Campos Neto, da Tendências Consultoria, disse que o mercado de câmbio está se ajustando depois de uma valorização exagerada na véspera, mas ainda segue monitorando todas as questões externas, como os possíveis estímulos dos principais países para conter uma desaceleração global.

– O quadro ainda é de muita incerteza e volatilidade justamente por conta dessas questões externas. A guerra comercial entre os Estados Unidos e a China afeta o apetite por ativos mais arriscados, como é o caso do real, além das preocupações com uma possível recessão global – afirmou Campos Neto.

– Tudo depende do que acontece lá fora – completou.

Ibovespa

O tom positivo prevalecia na bolsa paulista logo após a abertura do pregão desta quarta-feira, favorecido pelo viés mais favorável no ambiente financeiro externo, além de expectativas sobre anúncio relacionado a privatizações no Brasil. Às 10:05, o Ibovespa .BVSP subia 0,32 %, a 99.537,84 pontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *