Donald Trump enfrenta mais turbulência política na volta de cúpula

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 1 de março de 2019 as 11:53, por: CdB

Trump também enfrenta desafios em outras frentes: conversas delicadas com a China sobre um acordo comercial, uma crise persistente na Venezuela, tensões entre a Índia e o Paquistão e uma tentativa de frear no Congresso.

Por Redação, com Reuters – de Washington

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, embarcou para sua viagem ao Vietnã com uma nuvem política pairando sobre sua cabeça e determinado a mostrar um avanço em uma questão de política externa espinhosa que desnorteou muitos de seus antecessores.

Presidente dos EUA, Donald Trump, discursa para militares no Alasca

Agora, mal chegou de uma cúpula fracassada com a Coreia do Norte em Hanói e a nuvem já está mais escura.

Enquanto a muito alardeada reunião de Trump com o norte-coreano Kim Jong Un terminou em discórdia sobre as sanções ligadas ao programa de armas nucleares de Pyongyang, um depoimento de seu ex-advogado Michael Cohen, que o acusa de violar a lei no cargo, representou um desdobramento potencialmente prejudicial para o presidente em casa.

Trump também enfrenta desafios em outras frentes: conversas delicadas com a China sobre um acordo comercial, uma crise persistente na Venezuela, tensões entre a Índia e o Paquistão e uma tentativa de frear no Congresso sua declaração de emergência visando conseguir financiamento para um muro na fronteira com o México.

O procurador especial Robert Mueller também pode finalizar seu inquérito sobre a interferência da Rússia na eleição presidencial de 2016 em questão de dias, fazendo com que a especulação sobre o papel de Trump e sua campanha continuem rendendo manchetes.

Antes de partir para o Vietnã, Trump se queixou em particular do fato de os democratas levarem adiante o depoimento de Cohen, violando uma regra não escrita contra ataques ao presidente quando este se encontra no exterior. Ele também gostaria que o relatório Mueller fosse finalizado.

– Ele estava muito insatisfeito por eles estarem realizando as audiências enquanto ele estava no exterior – disse uma pessoa que estava presente e pediu para não ser identificada. “Ele também estava muito insatisfeito de a investigação Mueller não ter sido concluída antes de ele partir. Ele sentia uma nuvem pairando sobre sua cabeça.”

Já na cúpula, Trump abreviou as conversas sobre a desnuclearização da Coreia do Norte e os dois lados deram relatos conflitantes sobre o que aconteceu, provocando dúvidas sobre o futuro de uma das principais iniciativas de Trump.

A Casa Branca havia incluído uma cerimônia de assinatura de um acordo na agenda pública de Trump em Hanói, que cancelou abruptamente.

A conclusão do círculo íntimo de Trump é que ele terminou a semana bem, sentindo que não há grandes novidades no depoimento de Cohen e que o presidente ganhou crédito por evitar um acordo potencialmente ruim com os norte-coreanos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *