Donald Trump e Joe Biden travam debate presidencial caótico

Arquivado em: América do Norte, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 30 de setembro de 2020 as 10:10, por: CdB

Xingamentos e interrupções marcam primeiro duelo direto. Trump se recusa a condenar racistas, e Biden chama presidente de palhaço e mentiroso. Democrata sinaliza que pretende retaliar Brasil por devastação ambiental.

Por Redação, com DW – de Washington

Faltando pouco mais de um mês para a eleição presidencial dos EUA, o primeiro debate entre Donald Trump e o candidato democrata Joe Biden na noite de terça-feira foi marcado por ataques pessoais, insultos e constantes interrupções. O moderador do duelo, o jornalista Chris Wallace teve dificuldades de controlar a situação.

Trump interrompeu Biden repetidamente durante o debata
Trump interrompeu Biden repetidamente durante o debata

O debate teve duração de 90 minutos, sem intervalos, dividido em seis blocos de 15 minutos que abordavam diferentes tópicos.

O presidente Trump, que está atrás nas pesquisas, ficou na defensiva em parte do confronto, mas também apostou em táticas diversionistas, incluindo ataques à família de Biden e constantes interrupções durante as falas do adversário. O presidente chegou a mencionar que o único filho ainda vivo de Biden, Hunter, teve problemas com drogas no passado.

Já Biden, frustrado com as constantes interrupções de Trump logo no início do debate, pediu que o rival calasse a boca. “Você vai calar a boca, cara?”, disse o democrata. “É difícil falar qualquer coisa com esse palhaço”, disse o democrata em outro momento do confronto. Ele também chamou Trump de mentiroso e disse que ele é “o pior presidente que os Estados Unidos já tiveram”.

Biden mencionou o Brasil durante um tópico sobre os incêndios que devastam a Califórnia e afirmou que, caso eleito, pretende trabalhar com outros países e canalizar US$ 20 bilhões em verba para a preservação da Amazônia. Ele também sinalizou que pode retaliar o governo brasileiro caso a devastação da floresta continue.

– A floresta tropical no Brasil está sendo destruída – disse. “Parem de destruir a floresta e, se isso não acontecer, haverá consequências econômicas significativas.”

Racismo e “esquerdismo”

Outro momento tenso do debate ocorreu entre Trump e moderador Wallace, que pediu que o presidente condenasse publicamente grupos supremacistas brancos, especialmente um grupo extremista de direita chamado Proud Boys. Trump evitou uma condenação direita e disse apenas:

— Proud Boys, recuem e fiquem em stand by.

Em seguida, apelou para o diversionismo.

— Mas, vou lhe dizer uma coisa, alguém tem que fazer algo sobre o Antifa e a esquerda, porque isso não é um problema de direita, é um problema de esquerda — afirmou.

Biden retrucou, na hora:

— Este é um presidente que usou tudo como um apito de cachorro para tentar gerar ódio racista, divisão racista.

Green New Deal

O presidente ainda tentou ligar Biden à ala mais à esquerda do Partido Democrata, afirmando que seu adversário era um apoiador do Green New Deal defendido por estrelas da esquerda, como o senador Bernie Sanders e a deputada Alexandria Ocasio-Cortez. Biden rejeitou a fala, e respondeu:

— Não apoio o Green New Deal. Apoio o plano Biden que apresentei.

Biden ainda rejeitou outras acusações de Trump, como a de que o democrata defende diminuir o financiamento de forças policiais.

— Oponho-me totalmente. Policiais precisam de assistência — disse Biden.

Suprema Corte

A abertura recente de uma vaga na Suprema Corte dos EUA também foi um ponto de conflito entre os candidatos. Trump defendeu a nomeação a conservadora Amy Barrett para a cadeira deixada por Ruth Ginsburg a pouco mais de um mês da eleição. O momento da indicação contrasta com a posição republicana adotada em 2016, quando o partido bloqueou uma indicação de Barack Obama alegando que ela deveria ser prerrogativa do presidente que vencesse a eleição naquele ano.

– Eu não fui eleito para três anos, fui eleito para quatro anos – disse Trump.

Já Biden evitou responder a uma pergunta sobre se pretende aumentar o número de juízes na Suprema Corte, mas defendeu que a nomeação para a vaga de Ginsburg não deveria ser feita neste momento porque a eleição já está em andamento em alguns estados.

Covid-19

Em geral, os ataques e a tensão no confronto obscureceram discussões sobre políticas específicas. Biden ainda acusou Trump de ter “entrado em pânico” durante a pandemia do novo coronavírus, que já matou mais de 200 mil norte-americanos.

– Muitas pessoas morreram, e muitas outras vão morrer, a menos que ele (Trump) seja mais inteligente – disse Biden.  “Ele sabia desde fevereiro quão sério isso era, sabia que era mortal. O que ele fez? Ele disse que não queria criar pânico. Ele entrou em pânico”, disse Biden.

Trump defendeu a condução da crise pelo seu governo e contra-atacou Biden de maneira pessoal pelo uso da palavra “inteligente”. “Você se formou como o últimos como um dos últimos da sua turma”, disse o presidente. “Nunca use a palavra inteligente comigo. Nunca use essa palavra.”

Em outro momento, quando Biden acusou Trump de ofender os militares, o presidente voltou a distribuir ataques pessoais. Ele disse que Beau Hunter, um dos filhos do democrata, “foi expulso das Forças Armadas”. “Ele foi expulso de forma desonrosa por usar cocaína”, disse Trump. Biden respondeu: “Meu filho, assim como muitas outras pessoas, como muitas pessoas que vocês conhecem, tem um problema com drogas.” Beau Biden morreu em consequência de um tumor cerebral em 2015.

Resultado

Trump também voltou a não se comprometer a aceitar o resultado das eleições em caso de derrota. Ele ainda voltou a repetir, sem apresentar provas, que a votação realizada por correio tem risco de ser fraudada, apesar de já ter sido realizada com sucesso várias vezes no passado.

– Se for uma eleição justa, estou 100%. Mas se eu vir milhares de cédulas sendo manipuladas, não posso concordar com que… Isso significa que você tem uma eleição fraudulenta – disse.

Biden, por sua vez, acusou Trump de tentar “assustar” os eleitores para convencê-los a desistir de votar.

O democrata ainda explorou a recente revelação feita pelo jornal The New York Times de que Trump não pagou imposto de renda em 11 dos últimos 18 anos. “Mostre seu imposto de renda”, rebateu Biden, que divulgou suas próprias declarações ao fisco horas antes do debate.

Uma pesquisa instantânea da CNN apontou que 60% dos espectadores do debate apontaram que Joe Biden se saiu melhor do que Trump. Pelo levantamento, 28% disseram que Trump foi o vencedor da noite.

No entanto, o debate deve ter apenas o efeito de reforçar as convicções dos eleitores. Segundo uma pesquisa Wall Street Journal/NBC News, mais de 70% dos norte-americanos dizem que não consideram o debate muito importante para decidir o voto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *