Donald Trump diz que perdão a Manafort ‘não está descartado’

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 29 de novembro de 2018 as 11:45, por: CdB

A suspensão do acordo de admissão de culpa significa que Manafort quase certamente receberá uma pena mais dura, tanto pelos crimes que admitiu em Washington quanto por sua condenação em um caso separado de fraude bancária e tributária na Virgínia em agosto.

Por Redação, com Reuters – de Washington

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse na quarta-feira que não descartou conceder um perdão ao seu ex-gerente de campanha Paul Manafort, que se declarou culpado de uma série de acusações federais que vão de lavagem de dinheiro à prática de lobby sem registro.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

– Nunca foi debatido, mas eu não descartaria. Por que eu descartaria? – disse o presidente ao jornal New York Post durante uma entrevista no Salão Oval.

Assistentes do procurador especial que investiga a interferência da Rússia na eleição presidencial de 2016 disseram em autos na segunda-feira que Manafort mentiu a eles, violando um acordo de admissão de culpa.

– Manafort cometeu crimes federais ao mentir para o Birô Federal de Investigação e para o escritório do procurador especial a respeito de uma variedade de temas – disse o procurador especial Robert Mueller nos autos, que não deram detalhes, mas prometeram novos dados como parte de um relatório que antecederá a divulgação da pena.

O Wall Street Journal, citando pessoas a par do assunto, disse que as supostas declarações falsas de Manafort incluem comentários sobre seus negócios e contatos com um ex-associado na Ucrânia.

Estas declarações não pareceram ser essenciais para as alegações de possível conluio entre a campanha de Trump e a Rússia, que Mueller está investigando, mas não está claro se os procuradores planejam acusar Manafort de outras mentiras, noticiou o WSJ. Moscou nega ter influenciado a eleição de 2016, e Trump negou a ocorrência de qualquer conluio.

Os porta-vozes de Manafort e Mueller não quiseram comentar a reportagem do WSJ.

Nos autos, Manafort disse que discordou quando o procurador especial Robert Mueller afirmou que ele mentiu, mas os dois lados concordaram que o tribunal deveria ir adiante e condená-lo por seus crimes.

Sem um perdão, Manafort, de 69 anos, pode passar o resto da vida na prisão, dizem especialistas.

A suspensão do acordo de admissão de culpa significa que Manafort quase certamente receberá uma pena mais dura, tanto pelos crimes que admitiu em Washington quanto por sua condenação em um caso separado de fraude bancária e tributária na Virgínia em agosto.

Manafort pode estar sujeito a cerca de 10 anos de prisão só pelas oito acusações do caso da Virgínia, disseram especialistas em sentenças.

Mas o desdobramento também levou à especulação de que Manafort pode estar tentando obter favores de Trump ou protegendo outros associados que trabalharam na campanha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *