Estudantes marcham pacificamente após protestos violentos em Hong Kong

Arquivado em: Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 2 de setembro de 2019 as 11:22, por: CdB

Milhares de alunos de escolas e universidades de Hong Kong boicotaram as aulas e marcharam pacificamente a favor da democracia nesta segunda-feira.

Por Redação, com Reuters – de Hong Kong

Milhares de alunos de escolas e universidades de Hong Kong boicotaram as aulas e marcharam pacificamente a favor da democracia nesta segunda-feira, no mais recente ato de um movimento antigoverno que mergulhou a cidade controlada pela China em uma grave crise.

Protesto pacífico pela democracia em parque de Hong Kong

O boicote se seguiu a um final de semana marcado por alguns dos piores episódios de violência desde o início dos tumultos, uma vez que manifestantes queimaram barricadas e lançaram coquetéis molotov e a polícia retaliou com canhões de água, gás lacrimogêneo e cassetetes.

Milhares de estudantes se reuniram no campus montanhoso da Universidade Chinesa, revezando-se em discursos em um palco decorado com um fundo negro com as palavras “Estudantes em Boicote de União por nossa Cidade”.

Democracia

Eles pedem mais democracia na ex-colônia britânica, que foi devolvida à China em 1997 segundo a fórmula “um país, dois sistemas”, que garante uma autonomia ampla que inclui o direito de protestar e um Judiciário independente.

Eles temem que estas liberdades estejam sendo erodidas lentamente por lideranças do Partido Comunista em Pequim, uma acusação que a China nega.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Geng Shuang, reiterou o apoio de seu país à líder de Hong Kong, Carrie Lam.

O secretário da Educação, Kevin Yeung, disse aos repórteres que as escolas não são lugar para “fazer exigências políticas” ou tentar pressionar o governo.

Os estudantes compareceram em números significativos em protestos recentes, e também foram proeminente durante o movimento pró-democracia “Guarda-chuva” de 2014, que prenunciou as manifestações atuais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *