Estudo mostra aumento acentuado de sintomas de depressão entre jogadores

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 20 de abril de 2020 as 11:28, por: CdB

O sindicato mundial de jogadores FIFPro afirma que houve um aumento acentuado no número de atletas que relatam sintomas de depressão ou ansiedade desde que o futebol foi paralisado pelo surto de covid-19.

Por Redação, com Reuters – de Berna

O sindicato mundial de jogadores FIFPro afirma que houve um aumento acentuado no número de atletas que relatam sintomas de depressão ou ansiedade desde que o futebol foi paralisado pelo surto de covid-19.

Goleiro Luis Robles retorna à sua posição em partida contra o D.C. United
Goleiro Luis Robles retorna à sua posição em partida contra o D.C. United

O FIFPro disse que 22% das mulheres e 13% dos homens participantes de uma pesquisa relataram sintomas “consistentes com o diagnóstico de depressão”, como falta de interesse, de apetite, de energia e de auto-estima.

Isso foi comparado a 11% e 6%, respectivamente, em uma pesquisa semelhante realizada em dezembro e janeiro.

De acordo com a sondagem, 18% das jogadoras e 16% dos jogadores relataram sintomas de ansiedade generalizada, como preocupação ou tensão. Houve ainda 11% das mulheres e 7,5% dos homens que disseram ter os dois conjuntos de sintomas, informou o FIFPro.

Jovens atletas

– No futebol, jovens atletas de ambos os sexos estão enfrentando de forma repentina o isolamento social, uma suspensão de suas vidas profissionais e dúvidas sobre o futuro – disse o médico chefe do FIFPro, Vincent Gouttebarge.

– É um momento de enorme incerteza para os jogadores e suas famílias devido à insegurança de seu futuro e ao isolamento social.

O FIFPro afirmou que a pesquisa, realizada com o Centro Médico da Universidade de Amsterdã, incluiu 1.134 jogadores do sexo masculino, com idade média de 26 anos, e 468 jogadoras, com idade média de 23 anos, em 16 países.

Em uma nota mais positiva, Gouttebarge disse que quase 80% dos jogadores pesquisados ​​relataram ter acesso a recursos e apoio suficientes para sua saúde mental, geralmente através de associações nacionais de jogadores.

Jogadores de futebol

O secretário-geral do FIFPro, Jonas Baer-Hoffmann, disse que não estava tentando fazer dos jogadores de futebol um caso especial.

– Estamos muito conscientes de que isso é reflexo de um problema na sociedade em geral e não há sugestão de que seja mais grave para nossos membros – declarou Baer-Hoffmann.

Ele ressaltou que muitos jogadores vivem uma situação financeira precária. “A duração média do contrato é inferior a dois anos e a renda média é próxima à da população em geral”, disse. “Muitos são incrivelmente dependentes de suas habilidades no futebol e não estão preparados para o virá depois.”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *