Esvaziado e sem prestígio, Bolsonaro fala em novo acordo na Câmara dos Deputados

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 3 de julho de 2019 as 19:18, por: CdB

Vaiado, na noite passada, por um estádio de futebol lotado, na capital mineira, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse hoje, em cerimônia militar no Comando do II Exército, na capital paulista, que precisa “dar exemplo”.

 

Por Redação – de Brasília

 

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou, nesta quarta-feira, que Executivo e Legislativo não precisam de qualquer pacto assinado no papel; mas sim, trabalhar juntos na prática para apresentar e votar projetos que fujam do populismo e permitam que cada um receba aquilo que merece por seu trabalho.

Na solenidade militar, nesta quarta-feira, Bolsonaro diz que precisa 'dar o exemplo'
Na solenidade militar, nesta quarta-feira, Bolsonaro diz que precisa ‘dar o exemplo’

— Nós não precisamos de pacto assinado no papel. O pacto de que nós precisamos com o Poder Legislativo e o Poder Executivo é o nosso exemplo de votarmos matérias, de apresentarmos proposições que fujam do populismo, que estimulem a cada um ser realmente responsável em receber aquilo que recebe pelo suor do seu rosto, pela competência, por sua dedicação — disse Bolsonaro em discurso durante cerimônia militar em São Paulo.’

Vaiado, na noite passada, por um estádio de futebol lotado, na capital mineira, Bolsonaro hoje diz que precisa “dar exemplo”.

— O que nós queremos e podemos fazer com a nossa união é um Brasil melhor para todos. Isso tem que sair do papel. Tem que sair do discurso fácil de político, nós temos que dar exemplo, nós do Executivo e do Legislativo. Temos que dar exemplo — acrescentou.

Referência

No fim de maio, Bolsonaro realizou um encontro com os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, no qual ficou acertado que os chefes de Poderes trabalhariam na assinatura de um pacto —anteriormente já aventado por Toffoli— em favor do país.

Ainda não está claro, no entanto, se este pacto irá adiante, após ressalvas feitas por Maia. No discurso desta quarta-feira, o presidente não fez referência a qualquer projeto específico, mas a Câmara dos Deputados discute atualmente proposta de reforma da Previdência e um dos pontos em discussão diz respeito a demandas de forças de segurança pública, como policiais federais e civis, em favor de regras de aposentadoria mais benéficas.

A cerimônia marcou a despedida do general Luiz Eduardo Ramos da chefia do Comando Militar do Sudeste para assumir o cargo de ministro da Secretaria de Governo, no qual será responsável pela articulação política do governo com o Congresso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *