EUA garantirão liberdade de navegação no Estreito de Ormuz, diz Pompeo

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 29 de julho de 2019 as 14:09, por: CdB

Pompeo disse que estava trabalhando com o ministro britânico das Relações Exteriores, Dominic Raab, para libertação do navio britânico detido pelo Irã.

Por Redação, com Sputnik – de Washington

O secretário de Estado Mike Pompeo disse que os EUA pretendem trabalhar com os parceiros para garantir a liberdade de navegação no Estreito de Ormuz e em outros estreitos na região do golfo Pérsico.

EUA garantirão liberdade de navegação no estreito de Ormuz, promete Pompeo

Rotas marítimas

– Vamos mantê-los (os estreitos) abertos. Queremos implementar um plano de segurança marítima com participação de países de todo o mundo que estão interessados em manter abertas essas rotas marítimas – disse Pompeu no Clube Econômico de Washington.

Além disso, Pompeo disse que estava trabalhando com o ministro britânico das Relações Exteriores, Dominic Raab, para libertação do navio britânico detido pelo Irã.

O secretário de Estado dos EUA observou que durante a recente visita do ministro das Relações Exteriores do Irã, Javad Zarif, a Nova York para a conferência da ONU não houve negociações, mas Zarif conversou com a mídia norte-americana.

– A mídia norte-americana decidiu dar-lhe a palavra para falar sobre o que está acontecendo no Irã, o que não é verdade… Espero uma oportunidade para falar com o povo iraniano também, mas para dizer-lhes a verdade – disse Pompeu.

Incidente no Estreito de Ormuz

Na semana passada, o Corpo dos Guardiões da Revolução Islâmica iraniano informou que o petroleiro Stena Impero, de pavilhão britânico, foi detido no Estreito de Ormuz por violar as normas de navegação internacionais.

O incidente com o Stena Impero ocorreu depois de as autoridades de Gibraltar, território ultramarino britânico, terem detido em 4 de julho o petroleiro GRACE 1, cuja tripulação é suspeita de fornecer petróleo iraniano à Síria, contornando as sanções da UE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *