EUA impõem sanções a entidades chinesas por petróleo iraniano

Arquivado em: Negócios, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 25 de setembro de 2019 as 11:27, por: CdB

Mike Pompeo aproveitou para dizer que os EUA intensificarão os esforços para informar os países sobre os riscos de fazer negócios com a Guarda Revolucionária do Irã.

Por Redação, com Reuters – de Nova York

Os Estados Unidos estão impondo sanções a certas entidades chinesas por transferirem conscientemente petróleo do Irã, disse o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, no que chamou de novas ações para intensificar a pressão sobre o governo iraniano.

Mike Pompeo chamou de novas ações para intensificar a pressão sobre o governo iraniano

Falando em um evento antes da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Pompeo também disse que os EUA intensificarão os esforços para informar os países sobre os riscos de fazer negócios com a Guarda Revolucionária do Irã.

Um dia após a crítica às práticas comerciais chinesas, o presidente norte-americano, Donald Trump, disse que um acordo comercial com a China poderá acontecer mais cedo do que as pessoas pensam.

– Eles querem muito fazer um acordo … Isso pode acontecer mais cedo do que você pensa – disse Trump a repórteres em Nova York.

Resposta chinesa em Nova York

Os índices acionários da China fecharam em queda nesta quarta-feira, depois que Washington e Pequim trocaram palavras duras e apagaram as esperanças de um acordo comercial.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 0,8%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 1,0%.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, repreendeu as práticas comerciais chinesas na terça-feira na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, dizendo que não aceitaria um “acordo ruim” nas negociações comerciais com a China.

O principal diplomata da China reagiu às críticas dos EUA nesta terça-feira, dizendo que Pequim respeitará os interesses dos EUA, mas não será ameaçada no comércio ou permitirá interferências em seus assuntos, incluindo Hong Kong.

O mercado de ações “A” da China ainda enfrenta o risco de mais um aumento nas tensões comerciais sino-americanas, enquanto a falta de novas notícias sobre flexibilização de políticas monetárias também restringiu o sentimento dos investidores no curto prazo, disse a Wanlian Securities em um relatório.

Uma série recente de dados econômicos fracos seria um grande obstáculo para ganhos adicionais, pois a estabilização da economia deve servir de base para qualquer recuperação prolongada do mercado, acrescentou a corretora.

Soja

As importações de soja dos Estados Unidos pela China em agosto aumentaram seis vezes em relação ao ano anterior, mostraram dados alfandegários nesta quarta-feira, com cargas compradas anteriormente em meio a uma flexibilização na disputa comercial entre os países.

A China, a maior compradora de soja do mundo, trouxe 1,68 milhão de toneladas da oleaginosa dos EUA em agosto, ante 265.377 toneladas um ano atrás.

O volume de agosto representou um aumento de 84% em relação ao total importado dos EUA em julho, segundo dados divulgados pela Administração Geral das Alfândegas. A base de comparação anual, no entanto, é fraca. As importações de soja dos Estados Unidos caíram de forma acentuada no segundo semestre de 2018, depois que Pequim aplicou uma tarifa de 25% em uma lista de produtos norte-americanos, incluindo soja, em meio a uma guerra comercial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *