Ex-nadadora denuncia ter sido violentada por técnico da seleção dos EUA

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018 as 14:40, por: CdB

Segundo com informações veiculadas na denúncia, os agentes apreenderam todos os dispositivos eletrônicos, que poderiam ter provas relacionadas à denúncia

Por Redação, com EFE – de Nova York:

A ex-nadadora norte-americana Ariana Kukors, de 28 anos, campeã mundial em 2009, acusou o ex-técnico da seleção dos Estados Unidos, Sean Hutchison, de abusar sexualmente dela, quando era menor de idade.

A ex-nadadora norte-americana Ariana Kukors

Na última terça-feira, de acordo com a imprensa local, investigadores do Departamento de Segurança Nacional, junto com a polícia de Washington, cumpriram ordem de busca na casa do atual diretor-executivo do King Aquatic Club.

Segundo com informações veiculadas na denúncia, os agentes apreenderam todos os dispositivos eletrônicos, que poderiam ter provas relacionadas à denúncia.

Kukors denunciou Hutchison de tê-la tocado inapropriadamente a partir de 2013, e a abusado sexualmente em 2016. Além disso, o ex-técnico tirava fotos dela nua.

A investigação está em andamento desde 30 de janeiro, após a denúncia da ex-nadadora, que se apresentou à polícia apontando ter medo de que o antigo técnico da seleção siga cometendo crimes sexuais na atualidade.

Na noite de quarta-feira, em comunicado, Kukurs disse que Hutchison; atualmente, com 46 anos, a violentou durante viagens e em treinos; que eram realizados na cidade de Seattle, nos Estados Unidos.

– Nunca pensei que iria compartilhar a minha história, porque, só o fato de sobreviver era o suficiente para mim, mas, com o tempo, me dei conta que histórias como a minha são muito importantes, para não serem contadas – afirmou a campeã mundial dos 200 metros medley, em 2009.

– Não desejo que outros passem pela mesma dor, trauma, horror e abuso – completou a ex-atleta.

Hutchison deixou a seleção norte-americana em 2010, após especulações sobre o envolvimento dele com uma nadadora. Na época, o treinador afirmou que saía para buscar novos desafios profissionais.

Rússia

A Corte Arbitral do Esporte (CAS) determinou nesta quinta-feira que não tem jurisdição; para decidir sobre os recursos apresentados por seis atletas e sete técnicos russos, que pedem serem convidados para participar dos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang, na Coreia do Sul.

O tribunal não divulgou, por meio de comunicado, os detalhes da decisão, apontando; que as informações serão veiculados amanhã, quando também será anunciada resposta a denúncia de outros 47 desportistas da Rússia contra o Comitê Olímpico Internacional (COI).

Devido a suspensão do Comitê Olímpico Russo, pela existência de um sistema de doping patrocinado pelo governo; vigente nos Jogos de Sochi, há quatro anos, representantes do país só podem participar do evento em Pyeongchang sob bandeira neutra e a partir de convite.

Todos os que recorreram a CAS nesta semana, nunca foram flagrados em exames antidoping. Ainda assim, não receberam autorização de participar do evento; que será aberto oficialmente nesta sexta-feira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *