FDA proíbe a hidroxicloroquina para vítimas da covid-19, nos EUA

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Saúde, Últimas Notícias
Publicado sábado, 20 de junho de 2020 as 14:34, por: CdB

O estudo constatou que a hidroxicloroquina, que o presidente Donald Trump (Republicano) sempre elogiou como um possível tratamento, não proporcionou nenhum benefício aos pacientes, apesar de não causar danos, disse a agência no comunicado.

Por Redação, com Reuters – de Brasília e Washington

O Instituto Nacional de Saúde dos EUA (FDA, na sigla em inglês) colocou um ponto final na polêmica que varreu os países atingidos pela pior pandemia e mais de um século. A agência que normatiza o setor disse, em nota divulgada neste sábado, que foi interrompido um ensaio clínico para avaliar a segurança e a eficácia do hidroxicloroquina, um medicamento contra a malária, para o tratamento de pacientes covid-19 hospitalizados.

Hidroxicloroquina
A hidroxicloroquina foi considerada um medicamento ineficaz para a covid-19

O estudo constatou que a hidroxicloroquina, que o presidente Donald Trump (Republicano) sempre elogiou como um possível tratamento, não proporcionou nenhum benefício aos pacientes, apesar de não causar danos, disse a agência no comunicado. Os estoques da droga, no Brasil, foram inflados com a compra de matéria-prima da Índia e o destino do princípio ativo ainda não está definido, uma vez que não poderá ser aplicado, de forma massiva, em pacientes vítimas da síndrome causada pelo vírus Sars-CoV-2.

No início desta semana, a Organização Mundial da Saúde disse que o estudo com a hidroxicloroquina, em seu amplo teste em países para tratamentos para pacientes com covid-19, foi interrompido após novos dados e estudos não mostrarem benefício. A agência reguladora de medicamentos dos EUA, a FDA, revogou sua autorização de uso emergencial para a hidroxicloroquina no tratamento do covid-19 na segunda-feira.

Reumatóides

Tanto nos EUA de Trump quanto no Brasil do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a droga foi promovida como um tratamento potencial, afirmando em março que poderia ser “uma das maiores mudanças na história da medicina” quando usada em combinação com o antibiótico azitromicina.

No mês passado, em um anúncio surpresa, Trump disse que estava tomando hidroxicloroquina de forma preventiva depois que dois assessores da Casa Branca tiveram diagnóstico positivo para o novo coronavírus que causa o covid-19.

O Instituto Nacional de Saúde dos EUA anunciou em abril o seu teste com a hidroxicloroquina, usada no tratamento da malária e de doenças reumatóides, como a artrite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *