Grande Prêmio da China é adiado por coronavírus

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Fórmula 1, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020 as 12:54, por: CdB

A Federação Internacional do Automóvel (FIA) e a Fórmula 1 informaram em um comunicado que decidiram em conjunto adiar a corrida, que estava prevista para 19 de abril no Circuito Internacional de Xangai.

Por Redação, com Reuters – de Pequim/Londres

O Grande Prêmio da China de Fórmula 1 foi adiado devido ao recente surto de coronavírus no país, informaram os organizadores do evento nesta quarta-feira.

Grande Prêmio da China de Fórmula 1 de 2019 em Xangai
Grande Prêmio da China de Fórmula 1 de 2019 em Xangai

A Federação Internacional do Automóvel (FIA) e a Fórmula 1 informaram em um comunicado que decidiram em conjunto adiar a corrida, que estava prevista para 19 de abril no Circuito Internacional de Xangai.

“Como resultado de preocupações contínuas com a saúde e após a Organização Mundial de Saúde declarar o coronavírus como emergência global de saúde, a FIA e a Fórmula 1 tomaram estas medidas”, segundo o comunicado.

O Grande Prêmio da China entra para a lista de eventos esportivos que foram cancelados devido ao vírus, que já matou mais de 11 mil pessoas e infectou mais de 44 mil no país após eclodir em Wuhan no fim de 2019.

Equipe de F1 da Mercedes

Campeã de Fórmula 1, a Mercedes divulgou um protocolo de intenção a respeito de seu futuro na segunda-feira com o anúncio de um acordo de patrocínio prioritário de cinco anos com a gigante petroquímica Ineos do bilionário britânico Jim Ratcliffe.

O chefe da Mercedes F1, Toto Wolff, louvou o novo capítulo de uma equipe que venceu os últimos seis títulos de pilotos e construtores e que tem Lewis Hamilton em busca do sétimo troféu de sua carreira na temporada atual.

A F1 entra em uma nova era em 2021, e as equipes, incluindo a Mercedes, ainda não assinaram um novo acordo com a Liberty Media, empresa norte-americana que detém os direitos comerciais da modalidade, para depois deste ano, e existem alguns desavenças evidentes.

Apesar disso, Wolff, que é acionista da escuderia, se mostrou otimista.

– Estamos nisso no longo prazo – disse ele aos repórteres em uma coletiva de imprensa no Clube Automobilístico Real de Londres.

– Gostamos da plataforma, mas ao mesmo tempo estamos em negociações com os detentores dos direitos e as coisas têm que ser solucionadas.

– Mas a parceria é claramente algo que indica nosso desejo de continuar nossa jornada bem-sucedida na Fórmula 1 – acrescentou o austríaco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *