Greve dos petroleiros já atinge 10 Estados, mas não interrompe a produção

Arquivado em: Destaque do Dia, Energia, Últimas Notícias
Publicado domingo, 2 de fevereiro de 2020 as 14:41, por: CdB

Os petroleiros também querem o estabelecimento de negociação com a empresa para cumprimento de Acordo Coletivo de Trabalho e “suspensão imediata das medidas unilaterais tomadas pela gestão e que estão afetando a vida de milhares de trabalhadores”.

Por Redação, com Reuters – do Rio de Janeiro

A greve dos petroleiros da Petrobras, iniciada na véspera, por tempo indeterminado, já envolve 10 Estados do país, informou a Federação Única dos Petroleiros (FUP), neste domingo. A categoria cobra a suspensão das demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen), que afetarão mais de mil famílias, afirmou a FUP em comunicado.

A greve dos petroleiros mobiliza a categoria contra demissões anunciadas pela petrobras
A greve dos petroleiros mobiliza a categoria contra demissões anunciadas pela petrobras

Os petroleiros também querem o estabelecimento de negociação com a empresa para cumprimento de Acordo Coletivo de Trabalho e “suspensão imediata das medidas unilaterais tomadas pela gestão e que estão afetando a vida de milhares de trabalhadores”.

A FUP afirmou que a greve atinge trabalhadores de 12 unidades de refino que estão sem rendição de turnos e quatro terminais da Transpetro, subsidiária da Petrobras que também está sob a mira de ser privatizada.

Ocupação

Na Bacia de Campos, 12 plataformas aderiram à orientação do sindicato de realizar levantamento de pendências de segurança, efetivo e se houve embarque de equipes de contingência a bordo, afirmou a FUP.

Na Fafen-PR, os trabalhadores seguem ocupando a unidade há 12 dias para impedir o seu fechamento e as mil demissões anunciadas pela Petrobras para o próximo dia 14, disse a instituição sindical.

Segundo a diretora de refino e gás da Petrobras, Anelise Lara, o maior impacto da greve tem sido na troca de turnos das unidades da petrolífera. Porém, ela comentou que até o momento a produção não foi afetada.

Sindicatos

Sobre a Fafen “trata-se de uma empresa que não tem sustentabilidade financeira. Não podemos drenar o caixa da Petrobras aceitando este tipo de situação”, disse Lara.

A FUP afirmou que a greve tem adesão de 7 mil funcionários da companhia no país.
Procurada mais cedo, a companhia afirmou que considera “descabido o movimento grevista anunciado pela FUP, pois as justificativas são infundadas e não preenchem os requisitos legais para o exercício do direito de greve. Os compromissos pactuados entre as partes vêm sendo integralmente cumpridos pela Petrobras em todos os temas destacados pelos sindicatos”.

A paralisação começou um dia depois da Petrobras iniciar a fase vinculante de venda de ativos em refino, que inclui: Refinaria Isaac Sabbá (Reman) no Amazonas; Lubrificantes e Derivados de Petróleo do Nordeste (Lubnor), no Ceará; e Unidade de Industrialização do Xisto (SIX) no Paraná; assim como seus ativos logísticos correspondentes. A empresa também iniciou na véspera a etapa de divulgação da venda da totalidade de suas participações nas usinas de energia Eólica Mangue Seco 1 e Eólica Mangue Seco 2.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *