Honda deixará a Fórmula 1 para se concentrar em tecnologia de emissão zero

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Fórmula 1, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 2 de outubro de 2020 as 11:32, por: CdB

A japonesa Honda Motor anunciou na sexta-feira que vai encerrar sua participação como fornecedora de motores no Campeonato Mundial de Fórmula 1 no final da temporada de 2021 para se concentrar em tecnologia de emissão zero.

Por Redação, com Reuters – de Tóquio

A japonesa Honda Motor anunciou na sexta-feira que vai encerrar sua participação como fornecedora de motores no Campeonato Mundial de Fórmula 1 no final da temporada de 2021 para se concentrar em tecnologia de emissão zero.

A japonesa Honda Motor anunciou na sexta-feira que vai encerrar sua participação como fornecedora de motores no Campeonato Mundial de Fórmula 1
A japonesa Honda Motor anunciou na sexta-feira que vai encerrar sua participação como fornecedora de motores no Campeonato Mundial de Fórmula 1

A decisão foi tomada no final de setembro e a empresa não pretende retornar à F1, disse o presidente-executivo Takahiro Hachigo em entrevista coletiva online.

– Isso não é resultado da pandemia de coronavírus, mas por causa de nossa meta de longo prazo de eliminação de carbono – disse ele.

Como outras montadoras, a Honda está correndo para construir veículos de nova energia em uma mudança na indústria que Hachigo descreveu na sexta-feira como “uma vez em um século”. Essa corrida está se acelerando em meio ao surto de coronavírus, à medida que as montadoras revisam os planos de produção para conquistar participação no mercado com novos modelos, incluindo veículos de baixa ou zero emissão.

Red Bull Racing

A Honda, que voltou à F1 em 2015 em parceria com a equipe Red Bull Racing, disse que vai desviar os recursos que usou para construir motores de F1 para acelerar o desenvolvimento de tecnologias de emissão zero, como células de combustível e baterias.

– Entendemos como foi difícil para a Honda Motor Company chegar a uma decisão. Entendemos e respeitamos o raciocínio por trás disso – afirmou o chefe de equipe da Red Bull, Christian Horner, em um comunicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *