Hong Kong: manifestantes são cercados em universidade 

Arquivado em: Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 18 de novembro de 2019 as 10:46, por: CdB

A polícia de Hong Kong sitiou uma universidade nesta segunda-feira, disparando balas de borracha e gás lacrimogêneo para reprimir manifestantes.

Por Redação, com Reuters – de Hong Kong

A polícia de Hong Kong sitiou uma universidade nesta segunda-feira, disparando balas de borracha e gás lacrimogêneo para reprimir manifestantes antigoverno munidos de coquetéis molotov e outras armas e impedi-los de fugir, em meio a temores de uma repressão sangrenta.

Policial aponta arma para manifestantes que tentavam fugir de universidade durante confronto em Hong Kong
Policial aponta arma para manifestantes que tentavam fugir de universidade durante confronto em Hong Kong

Sufocados com o gás lacrimogêneo, dezenas tentaram deixar a Universidade Politécnica rompendo as formações policiais depois de uma noite de caos na cidade sob controle chinês, durante a qual ruas foram interditadas, uma ponte foi incendiada e um policial foi atingido com arco e flecha.

Muitos manifestantes, vestidos com roupas normais e sem máscaras, tentaram fugir, desviando de cilindros de gás lacrimogêneo e granadas de esponja, mas foram forçados a voltar para dentro do campus.

Alguns foram presos e derrubados no chão, enquanto outros corriam e saltavam sobre barricadas e cercas enquanto a polícia lhes apontava armas e desferiam murros.

– A polícia pode não invadir o campus, mas parece que está tentando pegar as pessoas enquanto elas tentam escapar – disse o parlamentar democrata Hui Chi-fung à Reuters.

– Não está nada promissor. Eles podem ser todos presos no campus. Parlamentares e a administração da escola estão tentando contato com a polícia, mas fracassaram.

A polícia disse que agentes foram mobilizados “na periferia” do campus durante uma semana, apelando para que os “arruaceiros” partam.

“Todos nossos alertas foram ignorados”, disse a corporação em um comunicado. “Nossa mensagem foi alta e clara, a violência degenerou em tumulto”.

Segundo a polícia, “produtos químicos tóxicos e perigosos” foram roubados do laboratório da universidade.

Protestos

“Precisamos alertar que o campus da universidade se tornou um barril de pólvora onde o perigo está muito além do que podemos estimar”, disse a polícia.

A corporação prendeu 154 pessoas de 13 a 54 anos de idade durante o final de semana. Cerca de 38 pessoas ficaram feridas na madrugada de domingo, informou a Agência Hospitalar. Testemunhas da agência inglesa de notícias Reuters viram alguns manifestantes com queimaduras de produtos químicos lançados por canhões de água da polícia.

Os ativistas estão revoltados com o que veem como uma interferência da China nas liberdades prometidas a Hong Kong quando a ex-colônia britânica voltou ao controle chinês em 1997. Pequim se diz comprometida com a fórmula “um país, dois sistemas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *