Irã não foi convidado para cúpula do G7, diz diplomata francês

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 7 de agosto de 2019 as 13:35, por: CdB

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, não foi convidado para a cúpula do G7 neste mês, disse um diplomata francês nesta quarta-feira.

Por Redação, com Reuters – de Paris

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, não foi convidado para a cúpula do G7 neste mês, disse um diplomata francês nesta quarta-feira, negando uma reportagem publicada no momento em que líderes europeus buscam uma maneira de desarmar um confronto em ebulição entre Teerã e Washington.

O presidente do Irã, Hassan Rouhan

O funcionário reagia a uma reportagem do Al-Monitor segundo a qual o presidente da França, Emmanuel Macron, convidou Rouhani para a cúpula em Biarritz para se encontrar com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Rouhani rejeitou a proposta, segundo a reportagem.

França, Reino Unido e Alemanha trabalharam durante meses para salvar o acordo nuclear firmado por potências mundiais com o Irã, que está à beira do colapso desde que Trump desfiliou os EUA no ano passado.

O Irã reagiu a novas sanções norte-americanas pensadas para estrangular seu comércio de petróleo recuando de alguns de seus compromissos de limitar suas atividades nucleares, como acertado no acordo, conhecido oficialmente como Plano de Ação Conjunto Abrangente, ou JCPoA, em troca da suspensão de sanções econômicas multilaterais.

Obrigações nucleares

“A prioridade é o Irã aderir às suas obrigações nucleares”, disse o diplomata francês à agência inglesa de notícias Reuters.

O primeiro vice-presidente iraniano, Eshaq Jahangiri, disse que Macron e Rouhani “debateram muitas questões” durante um telefonema.

Na quinta-feira, Rouhani disse que seu país está preparado para o pior em uma batalha cada vez mais difícil para preservar o acordo nuclear, mas que Teerã acabará prevalecendo.

São crescentes os temores de uma guerra no Oriente Médio com repercussões globais devido ao acirramento do impasse entre EUA e Irã. Lidar com a crise será um dos focos da cúpula do G7 entre os dias 24 e 26 de agosto.

Na segunda-feira, o Reino Unido participou de uma missão de segurança marítima com os EUA no Golfo Pérsico para proteger navios mercantes que atravessam o Estreito de Ormuz depois que o Irã respondeu a sanções dos EUA ao seu comércio de petróleo apreendendo uma embarcação com bandeira britânica.

A disputa a respeito do navio-tanque envolveu Londres nas diferenças diplomáticas sobre o Irã existentes entre os grandes signatários europeus do pacto e Washington.

O grupo E3, composto por França, Reino Unido e Alemanha, está tentando adotar o Instex, uma ferramenta comercial baseada em trocas, na relação com o Irã, mas um mecanismo iraniano equivalente ainda não foi estabelecido.

Autoridades iranianas vêm repetindo que o Instex precisa incluir as vendas de petróleo ou oferecer facilidades de crédito substanciais para ser benéfico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *