Jaguar Land Rover construirá carros elétricos em fábrica do Reino Unido

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 5 de julho de 2019 as 12:02, por: CdB

 

O anúncio dá um impulso ao setor automotivo do Reino Unido, atingido este ano pelos planos da Honda e da Ford de fechar fábricas.

Por Redação, com Reuters – de Londres/Seul

A Jaguar Land Rover está fazendo um investimento multimilionário para construir veículos elétricos no Reino Unido, em um grande impulso para o governo do país e para um setor atingido pela queda nas vendas de diesel e pela incerteza do Brexit.

Jaguar Land Rover construirá carros elétricos em fábrica do Reino Unido

A maior empresa automobilística do Reino Unido, que construiu 30% dos 1,5 milhão de carros do país no ano passado, produzirá uma série de veículos elétricos em sua fábrica de Castle Bromwich, no centro da Inglaterra, começando com seu luxuoso carro, XJ.

– O futuro da mobilidade é elétrico, e como uma empresa britânica visionária, estamos comprometidos em fazer nossa próxima geração de veículos de emissão zero no Reino Unido – disse o presidente-executivo, Ralf Speth, nesta sexta-feira.

O anúncio dá um impulso ao setor automotivo do Reino Unido, atingido este ano pelos planos da Honda e da Ford de fechar fábricas.

Os perigos

A Jaguar Land Rover (JLR) destacou os perigos de um não-acordo Brexit e a necessidade de manter o comércio sem atritos com a União Europeia, ecoando alertas da indústria de que a produção ‘just-in-time’ poderia ser afetada por burocracia adicional e atrasos na alfândega.

Três das quatro fábricas de automóveis europeias da JLR estão no Reino Unido, o que lhe dá capacidade limitada em outras partes do continente.

– Estamos fazendo esse investimento porque a constante incerteza do Brexit nos deixou sem escolha, tivemos que agir, por nossos funcionários e nossos negócios – disse a JLR.

– Estamos comprometidos com o Reino Unido como nossa casa e lutaremos para ficar aqui, mas precisamos do acordo certo.

Amazon

O órgão de defesa da concorrência do Reino Unido enviou à Amazon e à Deliveroo um pedido para bloquear o negócio em que a gigante norte-americana do comércio eletrônico tenta comprar a empresa de entregas de alimentos.

A Amazon comprou uma participação na Deliveroo em maio, liderando uma captação de recursos de US$ 575 milhões para enfrentar a Uber Eats na corrida global para dominar o mercado de entregas de comida.

O pedido, na forma de uma ordem de execução inicial, é feito para evitar que as empresas se integrem após uma possível fusão, enquanto o órgão decide se precisa iniciar uma investigação sobre os efeitos do negócio sobre a competição.

“Acreditamos que esse investimento minoritário permitirá à Deliveroo expandir seus serviços, beneficiando os consumidores por meio de mais opções e criação de novos empregos, à medida que mais restaurantes obtêm acesso ao serviço”, afirmou a Amazon em um comunicado.

Samsung Electronics

A Samsung Electronics estimou uma queda acentuada no lucro operacional do segundo trimestre com a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China causando estragos nos mercados globais de chips de smartphones, mas ganhos pontuais fizeram a projeção da empresa superar a previsão de analistas.

A gigante sul-coreana de tecnologia está a caminho de registrar queda no lucro ano a ano pelo terceiro trimestre consecutivo, com os preços dos chips caindo devido ao excesso de oferta e às sanções dos EUA à Huawei Technologies, principal cliente da Samsung.

O lucro operacional entre abril e junho deve ter caído 56%, para 6,5 trilhões de wons (US$ 5,6 bilhões) , disse a Samsung em documento enviado ao órgão regulador antes da divulgação do resultado detalhado no final de julho. A receita deve ter recuado 4,2% ante um ano antes, a 56 trilhões de wons.

A previsão do lucro é superior aos 6 trilhões de wons indicados pela Refinitiv SmartEstimate que dá um peso maior aos analistas melhores avaliados, de acordo com dados da Refinitiv.

Display

Ganhos extraordinários na divisão de display, que fornece painéis de display para a Apple, se refletiram no lucro operacional, disse a empresa, sem elaborar.

A Samsung recebeu um reembolso de cerca de 800 bilhões de wons por painéis de display vendidos para a Apple, uma vez que a fabricante de smartphones norte-americana não alcançou uma meta de vendas que as partes haviam concordado, disseram analistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *