Jornalista é vítima de hackers após entrar em grupo de apoio a fascista

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Redes Sociais, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 26 de setembro de 2018 as 12:42, por: CdB

O invasor, ainda não identificado, apagou conversas e contatos profissionais e privados da repórter. O perfil dela passou a exibir “bolsonaro” abaixo de sua identificação na plataforma.

Por Redação, com Abraji – do Rio de Janeiro

A repórter Talyta Vespa (UOL) teve a conta de WhatsApp invadida no dia 19 deste mês, após a publicação de uma reportagem sobre mulheres eleitoras do candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL). Vespa entrou em um grupo de mensagens na rede social para apurar as informações para o texto.

Repórter tem WhatsApp invadido

O invasor, ainda não identificado, apagou conversas e contatos profissionais e privados da repórter. O perfil dela passou a exibir “bolsonaro” abaixo de sua identificação na plataforma.

Segundo Vespa, apenas o WhatsApp foi afetado; ela não registrou ataques a contas em outras plataformas. “Não foi nada tão grave. O lance é ficar de olho para que não se repita com outras pessoas”, disse. O portal de notícias UOL repudiou a ação, em apoio à profissional.

A jornalista registrou Boletim de Ocorrência para apurar o caso. De acordo com o Art. 154-A do Código Penal, aquele que invadir o equipamento de alguém para “obter, adulterar ou destruir dados ou informações” está sujeito a uma pena de três meses a um ano de detenção, além de multa.

Segundo informações do Universa (UOL), o WhatsApp não soube esclarecer como pode ter acontecido a invasão da conta da jornalista. A empresa afirmou em nota que se “preocupa profundamente com a segurança e privacidade de nossos usuários”.

A Abraji condena a violação da privacidade de Talyta Vespa causada pela invasão de sua conta na rede social. A retaliação a um jornalista em decorrência do exercício da profissão é um atentado direto à liberdade de expressão e à democracia. A autoria do delito precisa ser rapidamente esclarecida e as sanções cabíveis, aplicadas, sob o risco de a impunidade estimular ataques semelhantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *