Kobe Bryant e filha morreram ao buscar sonho no basquete

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 27 de janeiro de 2020 as 11:31, por: CdB

No domingo, o pentacampeão da NBA e duas vezes medalhista de ouro olímpico, de 41 anos, morreu com a filha de 13 anos e outras sete pessoas, em um acidente de helicóptero.

Por Redação, com Reuters – de Nova York

Kobe Bryant chamava a filha Gianna de “Mambacita” em referência a seu próprio apelido, “Black Mamba”, confiante de que ela seguiria seus passos e se tornaria uma jogadora profissional de basquete.

Kobe Bryant e a filha Gianna em uma partida de basquete em Las Vegas
Kobe Bryant e a filha Gianna em uma partida de basquete em Las Vegas

No domingo, o pentacampeão da NBA e duas vezes medalhista de ouro olímpico, de 41 anos, morreu com a filha de 13 anos e outras sete pessoas, em um acidente de helicóptero a noroeste de Los Angeles, ao perseguir esse sonho.

Bryant e Gianna morreram enquanto viajavam para a Mamba Sports Academy, em Thousand Oaks, Califórnia, onde ele treinaria a equipe da filha em um torneio, de acordo com jogadores e treinadores atordoados na instalação esportiva, informou o Ventura County Star.

Bryant era conhecido por ser um homem de família, e sua conta do Instagram está repleta de fotos e vídeos da esposa, Vanessa, e das quatro filhas, com idades entre 17 anos e 7 meses.

Mas Gianna, ou “Gigi”, era a estrela de muitas das fotos e vídeos, mostrando habilidades no basquete que a ESPN Women, apenas três semanas atrás, comparou com as de seu pai.

Desde que se aposentou da NBA em 2016, Bryant treinava o time de basquete de Gianna. Em um vídeo de novembro que Bryant postou no Instagram, ela termina uma jogada acertando uma cesta de chuá.

Em 2018, Bryant foi flagrado em vídeo dizendo que sua filha estava “empenhada” em jogar pela Universidade de Connecticut Huskies, uma das principais equipes do basquete feminino universitário.

O passo seguinte para Gianna depois da faculdade seria a WNBA, seguindo os passos de seu avô, Joe Bryant, que treinou o Los Angeles Sparks, da liga norte-americana feminina.

Tradição da família na NBA

Kobe Bryant afirmou ao apresentador de TV Jimmy Kimmel, em janeiro, que quando os fãs se aproximavam dele e de Gianna e diziam que ele tinha que ter um filho para seguir a tradição da família na NBA, Gianna lhes dizia: “Oi! Eu peguei isso!” e ele dizia: “Sim, está correto, você pegou isso”.

Ele contou à rede BET há duas semanas que havia encontrado uma nova paixão ao assistir basquete com Gianna, vendo o esporte através dos olhos de uma menina de 13 anos.

– Não era eu sentado lá, você sabe, como atleta ou jogador ou algo assim, e você sabe que é sobre mim, e eu não gosto disso. Era ela, ela estava se divertindo muito – disse Bryant.

Nevoeiro será peça-chave

As condições climáticas provavelmente vão aparecer na análise de investigadores sobre o acidente de helicóptero que matou o ex-astro da NBA Kobe Bryant, sua filha e sete outras pessoas perto de Los Angeles, no domingo, quando o céu nublado e o nevoeiro fizeram com que outras aeronaves não decolassem.

Um helicóptero Sikorsky S-76, de propriedade de Bryant, bateu numa encosta íngreme nos arredores da cidade de Calabasas, na Califórnia, cerca de 65 quilômetros a noroeste do Centro de Los Angeles, causando incêndio e espalhando detritos por 1 mil metros quadrados de terreno gramado.

Horas depois, as autoridades do condado de Los Angeles disseram que todas as nove pessoas a bordo do helicóptero morreram no acidente.

Segundo a mídia local, Bryant e os demais passageiros estavam a caminho de uma academia de esportes na cidade vizinha de Thousand Oaks, onde o ex-jogador treinaria o time de basquete da filha em um torneio juvenil.

Investigadores da Administração Federal de Aviação e do Conselho Nacional de Segurança nos Transportes dos Estados Unidos começaram a chegar ao local no domingo para iniciar investigações separadas do acidente.

Entre os fatores que se espera estar na linha de frente da análise estão as condições climáticas, uma vez que os meteorologistas relataram nuvens baixas e visibilidade limitada nas proximidades no momento do acidente, e várias testemunhas oculares observaram uma névoa espessa sobre o vale onde o helicóptero caiu.

O nevoeiro na área era tão ruim no domingo de manhã que tanto o Departamento de Polícia de Los Angeles quanto o Departamento do Xerife do Condado de Los Angeles determinaram que suas frotas de helicópteros ficassem em solo, informou o Los Angeles Times, citando autoridades.

– A situação climática não atendeu aos nossos padrões mínimos de voo – disse o porta-voz da polícia de Los Angeles Josh Rubenstein ao Times.

O departamento do xerife também não aprovou a decolagem de helicópteros na manhã de domingo, “basicamente por causa do clima”, disse o xerife Alex Villanueva, segundo o Times.

Desde à época em que jogava, Bryant era conhecido por viajar com frequência de helicóptero para evitar o notório tráfego da área de Los Angeles.

Bryant jogou durante 20 anos pelo Los Angeles Lakers, vencendo cinco campeonatos da NBA. Ele é o quarto maior cestinha da história da liga, com 33.643 pontos na carreira.

Entre os passageiros a bordo do helicóptero, além do piloto, estavam uma companheira de equipe do time de basquete da filha de Bryant, Alyssa Altobelli, e os pais dela, John e Keri Altobelli.

Também a bordo estava Christina Mauser, uma treinadora assistente de basquete de meninas de uma escola particular no Condado de Orange, disse a prefeita Katrina Foley, de Costa Mesa, na Califórnia, no Twitter.

Sarah Chester e sua filha Payton também morreram no acidente, de acordo com um post no Facebook do diretor de escola Todd Schmidt. Vários meios de comunicação do sul da Califórnia identificaram o piloto como Ara Zobayan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *