Líderes separatistas catalães tomam posse como parlamentares europeus

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 13 de janeiro de 2020 as 13:48, por: CdB

Os líderes separatistas catalães Carles Puigdemont e Antoni Comin chegaram ao Parlamento Europeu para assumir suas cadeiras nesta segunda-feira.

Por Redação, com Reuters – de Estrasburgo

Os líderes separatistas catalães Carles Puigdemont e Antoni Comin chegaram ao Parlamento Europeu para assumir suas cadeiras nesta segunda-feira, prometendo colocar o movimento de independência na agenda da Europa, dias depois que a Espanha reiterou seu pedido de prisão.

Ex-líder do governo catatlão Carles Puigdemont (ao centro), dá entrevista a jornalistas ao chegar ao Parlamento Europeu
Ex-líder do governo catatlão Carles Puigdemont (ao centro), dá entrevista a jornalistas ao chegar ao Parlamento Europeu

– Este é um dia histórico para nós – disse Puigdemont a repórteres do lado de fora do Parlamento na cidade francesa de Estrasburgo, ladeada por apoiadores.

– Estamos aqui para lembrar às pessoas que a crise catalã não é uma questão interna, é uma questão européia.

Os dois políticos, que vivem em um exílio autoimposto na Bélgica, são alvo da Justiça da Espanha por seu papel em desafiar os tribunais espanhóis a realizar um referendo em 2017 sobre a independência da região e a breve declaração de secessão que se seguiu.

Puigdemont e Comin

Puigdemont e Comin foram eleitos parlamentares europeus em maio, mas não puderam retornar à Espanha para prestar juramentos e obter credenciais pelo receio de serem presos.

No entanto, seu status mudou no mês passado, quando o Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) decidiu que outro líder separatista Oriol Junqueras, também eleito deputado em maio, tinha direito à imunidade.

Junqueras, que permaneceu na Espanha, foi condenado a 13 anos de prisão em outubro por seu papel na tentativa de separação da Catalunha em 2017.

Depois que a Suprema Corte da Espanha decidiu na semana passada que a condenação o impedia de imunidade como deputado, o Parlamento Europeu na sexta-feira revogou seu mandato.

Eleitores

Puigdemont pediu que Junqueras fosse autorizado a exercer o mandato que lhe foi dado pelos eleitores.

– Se a União Européia fosse realmente uma união de direitos e liberdades, Oriol Junqueras estaria aqui hoje – afirmou.

A Suprema Corte da Espanha pediu na sexta-feira que o Parlamento Europeu retire sua imunidade a Puigdemont e Comin, reiterando que os dois devem ser entregues às autoridades espanholas com base em seus mandados de prisão europeus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *