Mercedes demite quatro funcionários da equipe de Fórmula 1 por racismo

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Fórmula 1, Últimas Notícias
Publicado sábado, 28 de setembro de 2019 as 19:15, por: CdB

O time do pentacampeão mundial Lewis Hamilton, que tem herança caribenha e já se manifestou contra o racismo, confirmou em um comunicado que os quatro indivíduos foram demitidos.

 

Por Redação, com Reuters – de Sochi, Rússia

 

A Mercedes, equipe campeã de Fórmula 1, demitiu quatro funcionários e disciplinou outros três após um inquérito sobre racismo na fábrica da equipe, afirmaram jornais britânicos neste sábado.

Hamilton começa a temporada como o piloto mais rápido da Fórmula 1
A equipe de Hamilton sofreu baixas por atos de racismo de seus integrantes, criticadas pelo piloto Lewis Hamilton

O time do pentacampeão mundial Lewis Hamilton, que tem herança caribenha e já se manifestou contra o racismo, confirmou em um comunicado que os quatro indivíduos foram demitidos. A Mercedes afirmou que as demissões de 2 de agosto “aconteceram depois de uma investigação interna que confirmou violações de nossa política de diversidade e igualdade”.

“Nós condenamos esse comportamento da maneira mais forte possível e agimos imediatamente após a reclamação. Nós valorizamos a diversidade entre nossos empregados, e isso é fonte de força para nossa equipe”, acrescentou o comunicado.

Eurocopa

O jornal The Sun publicou que houve uma “campanha de assédio racista” contra um empregado muçulmano no quartel-general da equipe, em Brackley.

Hamilton já falou sobre suas experiências com racismo, pedindo, em março, por mais posicionamento contra o preconceito em todos os âmbitos, depois de jogadores ingleses de futebol relatarem cantos abusivos em uma partida das Eliminatórias da Eurocopa contra Montenegro.

– Eu me lembro de estar na escola e você levava um tapa na mão por isso (racismo) e deixavam passar. Isso não deve acontecer em lugar nenhum. Medidas precisam ser tomadas e precisamos ser muito mais rígidos com isso – disse Hamilton.

Nas pistas

No treino classificatório deste sábado, a Mercedes sofreu uma nova decepção. O monegasco Charles Leclerc, da Ferrari, voltou a conquistar a pole position, desta vez no Grande Prémio da Rússia de Fórmula 1.

Aos 21 anos, Leclerc é o primeiro piloto da Ferrari a conseguir quatro pole positions consecutivas desde Michael Schumacher em 2001. Leclerc completou uma volta ao circuito em 1.31,628, à frente de Lewis Hamilton (Mercedes) e Sebastian Vettel (Ferrari).

Nos lugares seguintes ficam Max Vesrtappen e Valtteri Bottas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *