Messi pode deixar Barcelona de graça em caso de independência da Catalunha

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 5 de janeiro de 2018 as 12:13, por: CdB

O maior artilheiro da história do Barça assinou o novo contrato em novembro, sete meses antes de seu acordo anterior vencer. O novo acordo tem duração até junho de 2021

Por Redação, com Reuters – de Barcelona:

Lionel Messi pode deixar o Barcelona sem uma taxa de transferência se a Catalunha se separar da Espanha e o time não puder competir nos principais campeonatos europeus, afirmou o jornal El Mundo nesta sexta-feira, citando uma cláusula do novo contrato do jogador argentino.

Lionel Messi pode deixar o Barcelona sem uma taxa de transferência se a Catalunha se separar da Espanha

O maior artilheiro da história do Barça assinou o novo contrato em novembro; sete meses antes de seu acordo anterior vencer. O novo acordo tem duração até junho de 2021 e contém uma cláusula de liberação de US$ 843 milhões.

Mas, de acordo com o jornal espanhol, o contrato também permitiria que o jogador, eleito cinco vezes o melhor do mundo; deixe o clube onde passou toda a carreira de graça se a iniciativa separatista catalã levar o Barça a sair do Campeonato Espanhol e o time não entrar nas ligas inglesa, alemã ou italiana.

Um porta-voz do Barcelona se recusou a comentar diretamente sobre a reportagem; e representantes de Messi não puderam ser contactados de imediato para comentar.

A crise política na Espanha desencadeada pela tentativa de independência da Catalunha continua sem solução; já que os separatistas obtiveram uma pequena maioria parlamentar na eleição regional do mês passado.

O contrato mais recente de Messi foi firmado em 25 de novembro; antes da votação na Catalunha mas depois de um referendo de independência; que as autoridades de Madri declararam ilegal, dissolvendo as instituições políticas da região depois que estas o ratificaram.

O referendo

O referendo teve repercussões diretas para o Barcelona; que no dia da consulta decidiu disputar um jogo da liga espanhola contra o Las Palmas com portões fechados em reação à violência policial contra as pessoas que tentavam votar.     

O presidente da liga espanhola, Javier Tebas, vem repetindo que o Barcelona seria expulso da liga nacional; assim como outros clubes catalães, no caso de uma secessão; já que só times da Espanha e de Andorra estão legalmente autorizados a competir nas ligas espanholas.

Depois do referendo o Barça, que conquistou 24 títulos da liga e lidera a tabela na atual temporada com nove pontos de vantagem; disse que não especulará sobre o futuro. Mas que “não está fazendo planos para nenhuma outra situação além de jogar na liga espanhola. O clube está competindo nesta competição e quer vencê-la”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *