Ministério Público faz operação contra fraudes no sistema penitenciário do Rio

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 14 de outubro de 2020 as 12:16, por: CdB

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) fez nesta quarta-feria uma operação contra fraudes na compra de alimentos do complexo penitenciário de Gericinó (Bangu), na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) fez nesta quarta-feria uma operação contra fraudes na compra de alimentos do complexo penitenciário de Gericinó (Bangu), na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro. Estão sendo cumpridos três mandados de prisão preventiva e 71 de busca e apreensão expedidos pela 2ª Vara Criminal de Bangu.

São três mandados de prisão preventiva e 71 de busca e apreensão
São três mandados de prisão preventiva e 71 de busca e apreensão

Segundo MPRJ, investigações mostraram a ação de uma organização criminosa atuou na contratação emergencial de empresas para fornecimento de alimentação ao maior complexo de presídios do Rio de Janeiro, em 2019.

Determinadas empresas teriam sido beneficiadas no pregão eletrônico e em troca teriam feito pagamentos indevidos a agentes públicos. A pregoeira teria concedido a um dos investigados oportunidade de substituir documentos e elaborar peças que superassem a incompatibilidade com atestados técnicos.

Sociedades empresárias

De acordo com o MPRJ, a comissão responsável pelo pregão demonstrava tolerância com as sociedades empresárias que compõem o cartel formado pelos empresários denunciados, enquanto atuavam com rigidez em relação a outras empresas, chegando a desclassificá-las por decisões da pregoeira e do então subsecretário adjunto de Infraestrutura da Secretaria de Administração Penitenciária.

As empresas que participaram da fraude valeram-se, segundo o MPRJ, “de práticas como a utilização de preços inexequíveis e a formação de estruturas e redes de distribuição empresariais próprias, para fraudar o processo legal de fornecimento de alimentos no Complexo de Gericinó”.

Furto de combustível

Policiais civis cumpriram nesta quarta-feira sete mandados de prisão contra um grupo criminoso especializado no furto de combustível de dutos da Petrobras, na Baixada Fluminense. Até as 7h30, a operação Baú, da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados havia prendido cinco pessoas.

O grupo atua instalando torneiras nos dutos da estatal petrolífera com o objetivo de furtar o combustível que é transportado por ali. O prejuízo estimado para a empresa chega a R$ 1 milhão.

Além do prejuízo causado pelo furto, a operação criminosa também provoca vazamentos de petróleo, que contamina o solo e pode provocar explosões.

O combustível furtado era acondicionado em tonéis e transportado por caminhões baú, para disfarçar o produto e enganar fiscalizações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *