Ministro se diz frustrado por não privatizar uma estatal sequer

Arquivado em: Comércio, Indústria, Negócios, Serviços, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 10 de novembro de 2020 as 11:21, por: CdB

Ao participar de abertura de evento promovido pela Controladoria Geral da União (CGU), Guedes admitiu que, até pela demora nas privatizações, um secretário de sua pasta resolveu ir embora, em referência a Salim Mattar, mas destacou que outro entrou com muita determinação e juventude.

Por Redação – de Brasília
Funcionários de todas as empresas do Sistema Eletrobras iniciaram nesta segunda-feira uma paralisação de 72 horas em todo o país contra a privatização da companhia
A Eletrobras, na mira de Guedes, se mantém sob a gestão pública

Ministro da Economia, Paulo Guedes afirmou. nesta terça-feira estar “bastante frustrado” com o fato de o governo Jair Bolsonaro (sem partido) não ter conseguido vender uma estatal sequer, ao longo dos dois anos de mandato. Mas ele frisou, no entanto a necessidade de acelerar esse movimento, bem como a venda de imóveis da União, para o abatimento da dívida pública.

Ao participar de abertura de evento promovido pela Controladoria Geral da União (CGU), na manhã desta terça-feira, Guedes admitiu que, até pela demora nas privatizações, um secretário de sua pasta resolveu ir embora, em referência a Salim Mattar, mas destacou que outro entrou com muita determinação e juventude — o substituto Diogo Mac Cord de Faria, hoje à frente da Secretaria Especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercado.

Guedes também afirmou que o atual governo foi eleito para privatizar estatais, mas mencionou a existência de acordos políticos na Câmara e no Senado impedindo ações nessa direção. As últimas declarações do ministro sobre o assunto, ao se referir à falta de disposição do presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), causaram mal estar entre os parlamentares.