Moscou informa que mais de 20 mil civis saíram de Ghouta Oriental

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado domingo, 18 de março de 2018 as 12:15, por: CdB

Mais 30 mil civis deixaram ontem o último reduto da oposição síria na província de Damasco, alvo de ampla ofensiva das tropas do regime do presidente sírio Bashar al Assad

Por Redação, com EFE – de Moscou:

Mais de 20 mil civis deixaram neste domingo a região de Ghouta Oriental, nos arredores de Damasco, a capital da Síria, pelo corredor humanitário aberto pela Rússia, informou o porta-voz do Centro para a Pacificação russa na Síria, o general Vladimir Zolotukhin.

Moscou informa que mais de 20 mil civis saíram de Ghouta Oriental

– Mais de 20 mil civis saíram de Ghouta Oriental, partindo do lado da cidade de Hamuriya, por volta das 10h em Moscou (4h em Brasília). As pessoas continuam saindo – disse Zolotukhin aos jornalistas.

Mais 30 mil civis deixaram ontem o último reduto da oposição síria na província de Damasco, alvo de ampla ofensiva das tropas do regime do presidente sírio Bashar al Assad.

As autoridades militares russas garantem que os civis estão fugindo dos islamitas que controlam essa região; mas a organização não governamental Observatório Sírio de Direitos Humanos; com sede em Londres, atribui o êxodo à ofensiva do Exército sírio.

Segundo o observatório, as forças leais a Assad e seus aliados conquistaram nas últimas horas as localidades de Kafr Batna e Saqba; que estavam nas mãos da facção islamita Legião da Misericórdia.

A Legião da Misericórdia e o grupo islamita Exército do Islã são as duas principais facções; que enfrentam na área as forças do regime sírio no território rebelde; desde que as tropas governamentais lançaram em 25 de fevereiro uma ofensiva terrestre.

O OSDH indicou que, com esse avanço, o Exército sírio já controla 82% do território de Ghouta Oriental.

Desde 18 de fevereiro, quando começou a escalada de violência em Ghouta Oriental; 1.401 pessoas morreram, entre elas 276 menores de idade e 174 mulheres; segundo dados da ONG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *