MTST ocupa ministério contra cortes no Minha Casa Minha Vida

Arquivado em: Brasil, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 4 de julho de 2018 as 17:12, por: CdB

Movimento quer apresentar ao ministro das Cidades, Alexandre Baldy, proposta de ampliação do programa, atingido pela diminuição de recursos

Por Redação, com RBA – de Brasília:

O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) ocupou, a sede do Ministério das Cidades, em Brasília, contra os cortes de recursos do programa de habitação popular Minha Casa Minha Vida – Entidades.

Pauta reivindica ampliação do número de entidades que serão selecionadas este ano para o programa

A pauta de reivindicação foi apresentada à secretária nacional de Habitação, Maria Socorro Gadelha. Os integrantes do MTST aguardam agora por uma reunião com o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, agendada para os próximos dias.

De acordo com o coordenador nacional do movimento Josué Rocha, em entrevista à jornalista Ana Rosa Carrara, da Rádio Brasil Atual, o governo havia acordado a contratação de 35 mil unidades para esse ano, mas entregou menos de 10 mil no primeiro processo de seleção do MTST, e agora, um novo pedido foi aberto, contemplando apenas mais 10 mil novas unidades, segundo Rocha.

– Isso representa que um corte nesse programa está acontecendo. Estamos pleiteando manter esses recursos que são necessários – avalia o coordenador. “Não podemos aceitar calados o corte de um dos principais programas de habitação do país. Temos que reivindicar que o programa seja mantido com a força que ele precisa ter, refletindo o déficit habitacional gigantesco que a gente tem no nosso país”.

A comissão

A comissão de representantes do MTST foi recebida em Brasília pela secretária nacional de Habitação e o movimento busca agora uma reunião com o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, que deve ser marcada nos próximos dias.

O objetivo é apresentar a pauta reivindicando a ampliação do número de unidades que serão selecionadas este ano para o Minha Casa Minha Vida – Entidades.

O programa, criado em 2009, torna acessível a moradia às famílias organizadas por meio de organizações habitacionais, cooperativas e demais entidades privadas sem fins lucrativos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *