Mulher é vítima de bala perdida no Rio

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018 as 11:59, por: CdB

Segundo a Polícia Militar, criminosos em um carro tentaram roubar outro veículo na Rua Canavieiras, mas se depararam com policiais militares

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

Mais uma pessoa foi vítima de bala perdida na cidade do Rio de Janeiro. Maria Luiza Panza Bruno foi atingida por um tiro na região do abdôme, durante uma tentativa de assalto no Grajaú, na Zona Norte da cidade, na noite anterior.

Mais uma pessoa foi vítima de bala perdida na cidade do Rio de Janeiro

Segundo a Polícia Militar, criminosos em um carro tentaram roubar outro veículo na Rua Canavieiras, mas se depararam com policiais militares. De acordo com a PM, os criminosos atiraram na direção dos agentes, mas esses não reagiram.

Maria Luiza acabou sendo atingida por um tiro. Os policiais socorreram a vítima e a levaram ao Hospital Federal do Andaraí. Segundo o Ministério da Saúde; a paciente entrou numa situação estável; recebeu os primeiros socorros e foi transferida no início da manhã para o Hospital Norte D’Or.

Operação

Uma operação do Ministério Público (MP) e da Polícia Civil do Rio de Janeiro resultou na prisão de sete pessoas; acusadas de fraudes no fornecimento de água para escolas e hospitais em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. As primeiras apurações indicam; que o prejuízo para os cofres públicos com a água que deixou de ser fornecida é de pelo menos R$ 2,250 milhões. As informações foram divulgadas na quinta-feira; em entrevista à imprensa na Cidade da Polícia.

Entre os presos, está um ex-vereador da cidade, Francisco dos Santos; conhecido como Chico Borracheiro, um filho dele, que foi assessor do prefeito na gestão passada, e sua nora. Também tiveram pedido de prisão aceito pela Justiça dois funcionários da empresa Cris Duque de Caxias Transportes e dois servidores da prefeitura.

De acordo com o  titular da 62ª Delegacia Policial, Marcos Santana; a fraude consistia em entregar menos água, em carros-pipa; do que era descrito nas notas fiscais. Por vezes, não se entregava nenhuma água, e as notas eram preenchidas depois; como se tivessem sido entregues milhares de litros, e gerando cobranças ilegais.

O promotor Rogério Lima Sá Ferreira, integrante do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), disse que, ao longo dos trabalhos, outros fatos foram descobertos, o que gerou novas investigações, ainda em andamento, sobre outros crimes.

A empresa Cris Duque de Caxias Transportes venceu concorrência em 2014 para fornecimento de água, no valor total de R$ 8,8 milhões, por meio de carros-pipa, para escolas, hospitais e unidades de saúde do município de Duque de Caxias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *