Nenhum candidato da direita quer Haddad presente aos debates

Arquivado em: Sem categoria
Publicado terça-feira, 14 de agosto de 2018 as 15:40, por: CdB

Candidato da centro-esquerda, Fernando Haddad (PT), que ocupa a vaga de vice na chapa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, não deve participar das sabatinas e debates envolvendo os presidenciáveis por ter sido oficializado como vice, segundo os adversários do campo conservador.

 

Por Redação – de Brasília e São Paulo

 

Os candidatos da extrema direita, entre eles o capitão Jair Bolsonaro (PSL) ou Benevenuto Daciolo Fonseca dos Santos, o Cabo Daciolo; da direita, com o ex-governador Geraldo Alckmin; ou na centro-direita, com Marina Silva e Ciro Gomes, todos são unânimes em ao menos um ponto. Nenhum deles quer a presença do representante do Partido dos Trabalhadores (PT) nos próximos debates eleitorais.

O general Villas-Bôas e o ex-prefeito Haddad, representando o ex-comandante-em-chefe das Forças Armadas, Luiz Inácio Lula da Silva. Tom constrangedor
Embora Haddad integre o campo do centro, nas eleições, com apoio de setores da esquerda, aceitou o convite do general Villas-Bôas para uma conversa sobre o setor da Defesa

Fernando Haddad (PT), que ocupa a vaga de vice na chapa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, não deve participar das sabatinas e debates envolvendo os presidenciáveis por ter sido oficializado como vice, afirma Ciro Gomes.

— Quem é o candidato à Presidência da República do PT? É o Lula. Então por que o Haddad vai para os debates? Então o Bolsonaro pode mandar o general — afirmou o ex-governador cearense, após participar de sabatina com presidenciáveis promovido pela União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (Unecs).

Nesta terça-feira, Haddad participou, pela primeira vez, de uma sabatina com os presidenciáveis.

Temer

Segundo Gomes, o problema não é Lula, de que diz ser amigo, mas o PT.

— Eu e Lula somos bastante amigos, o problema não é ele. O problema é o PT, que é fortemente responsável por esse momento que estamos aí vivendo. Não foi o PT que escolheu Michel Temer? — questionou, em referência ao fato do emedebista ter sido escolhido pelo PT para ser o vice da presidente deposta Dilma Rousseff.

Marina Silva também é radicalmente contra a presença, seja do vice, seja do titular na chapa do PT. A candidata da Rede, que tenta a Presidência pela terceira vez, Ela criticou, mais uma vez, o registro da candidatura de Lula, sob o argumento de que “ninguém está acima da lei”.

O ato de registro, no entanto, é assegurado pela lei eleitoral do país.

— Estamos vivendo um momento difícil em que as pessoas estão perdendo a dimensão de que a Justiça não pode ter dois pesos e duas medidas. E o que eu venho dizendo é que ninguém é rico demais, popular demais para estar acima da lei — afirmou Marina, a jornalistas.

Banqueiro

Para a candidata do Rede, Lula “cometeu um erro e isso foi julgado pela Justiça, assegurando o mais amplo e legítimo direito de defesa necessário em uma democracia. As leis devem ser cumpridas por todos”.

— Porque tanto ele quanto Dilma estavam praticando as mesmas coisas. Ambos tiveram dinheiro de caixa dois (abastecendo suas campanhas). Eu não tenho compromisso com erro de ninguém — afirmou Marina.

As duas últimas campanhas da presidenciável ex-petista foi patrocinada pelo Banco Itaú. Não apenas para as atividades relacionadas à candidatura, mas para o aluguel de imóveis e até despesas pessoais.

Demais candidatos

Bolsonaro, Daciolo e Alckmin também se expressaram contrários à presença dos representantes petistas nos debates. Representante do neofascismo, Bolsonaro é contrário até ao registro da candidatura do ex-presidente Lula.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *