sexta-feira, 23 de junho de 2017 • ANO XVII • N° 6.360

6 Comments

  1. 6

    Ulisses G.

    O envio de jovens estadunidenses para as diversas guerras sanguinárias de exploração, também resolvia o problema do desemprego. A reação do povo contra o envio de seus filhos para a guerra gerou incentivo à contratação de exércitos mercenários, sediados basicamente na África.
    Assim, o sangue judeu dos estadunidenses não corre mais nos combates, a não ser de jovens estrangeiros, portando “impuros”, que se alistam.
    Com isto e com o investimento bélico das incursões, a taxa de desemprego dobrou.

  2. 5

    Jésus Borges

    Já redigi até poema expondo meus sentimentos a respeito do que motivou a tristeza do ocorrido em 11 de Setembro.
    Nem tanto da política, nem menos. Um amontoado de causas geraram a tragédia.
    O mundo parou… O homem parou… Pararam todos de pensar! Não progrediram no principal. Em vez de se preparar, desenvolver para a paz, o fez para a guerra, a discórdia, a supremacia pela força dos canhões… Ou orações!
    De quem a culpa, senão de quase todos, principalmente dos que assentados em tronos, orando, nada puderam fazer antes, pois, o tempo era gasto nos rituais e nas orações. A cultura falhou! A cultura e a incultura dos que ocuparam lugar em tronos, cheios de hipocrisia e muito pouco ou quase nada de sabedoria.
    Chegaram a ocupar tronos e nada fizeram de bem para a humanidade!

  3. 4

    Milton Guimraes

    Como cristão, o ex-católico deve conhecer esse velho ditado bíblico: Quem com ferro fere com ferro será ferido.. É tudo que eu tenho a dizer. O ilusrre não imagina o que está para acontecer com os EUA até o final desse século. Leia o Gregg Braden “O Código de Deus”.

  4. 3

    edson dias

    Nem li o jornal de voces direito, só a materia dos correios, pois sou carteiro e estamos em greve, li a materia das torres gemeas, e se for gratuito, o jornal de vocês poderiam enviar pelo meu email?
    Sou chargista também, atualmente mais carteiro, pois fui anistiado pelo governo, e voltei para os correios, fui preso e torturado em 1975, pois estava fazendo movimento grevista nos correios na época da ditadura.
    Me prenderam lá, torturaram no Doi Codi e no DEOPS, na saída ainda perdi o emprego, de manhã era carteiro, à tarde jornalista. Distribuia o jornal que fazia lá na empresa, o material que eu distribuia, denunciava a ditadura, e as mutretas da ditadura, fazia umas vinte ilustração em cartilhas, distribuidas de norte a sul no país, isso me custou muito caro nas salas de tortura, pois era sabatinado por cada página destas cartilha, e recebia uma bordoada no rosto, por cada página. Tipo “escreveu não leu, o pau comeu”.
    Mas hoje, lutando ainda para ser idenizado pelo estado, continuo minha luta lá nos correios, fundamos associação, e hoje já são vários sindicatos pelo Brasil. Fizemos greves na ditadura, greves nos períodos que fomos governado pelo FHC, admiro hoje termos que lançar mão de greve pela valorização profissional, no governo que ajudamos eleger, o de LULA e da DILMA.

  5. 2

    francisco

    Enfim alguém vê que o rei está nu.

  6. 1

    Humberto

    Enquanto as diversas perguntas acerca do 11/9 não forem satisfatoriamente respondidas e, assim, as dúvidas pertinentes se realmente são os terroristas quem estão por trás dos atentados persistirem, não adianta pensar na questão do terrorismo sem saber até que ponto os EUA estão envolvidos e tudo não é uma grande armação.

Os comentários estão encerrados.

Copyright 2017 - Todos os direitos reservados

%d blogueiros gostam disto: