OAB inicia processo para cassar carteira profissional de Frederick Wassef

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 24 de junho de 2020 as 18:08, por: CdB

Wassef, para a ONG, praticou ‘clara conduta de obstrução à justiça’ ao esconder, em sua casa, o ex-policial militar Fabricio Queiroz, assessor do primogênito de Jair Bolsonaro, Flávio, quando deputado na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Aler).

Por Redação – de Brasília

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) abriu, nesta quarta-feira, processo contra o associado Frederick Wassef, que atuava para a família do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O processo teve início a pedido da Organização Não Governamental (ONG) Ministério Público de Contas, com apoio do presidente da Ordem, Felipe Santa Cruz.

O advogado Wassef indica uma clara ligação com o ex-PM Fabrício Queiroz
O advogado Wassef indica uma clara ligação com o ex-PM Fabrício Queiroz

Para a associação jurídica, Wassef praticou ‘clara conduta de obstrução à justiça’ ao esconder, em sua casa, o ex-policial militar Fabricio Queiroz, assessor do primogênito de Jair Bolsonaro, Flávio, quando deputado na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Aler). Queiroz é investigado também por sua participação como operador do esquema financeiro que desviou recursos públicos no escândalo da “rachadinha”. Fabrício Queiroz está preso, incomunicável, desde a última sexta-feira. 

Escândalo

Advogado do senador Flávio Bolsonaro até este domingo, Frederick Wassef se perdeu no número de versões divulgadas para explicar a presença de Queiroz em uma residência que teria sido registrada como escritório advocatício. Primeiro, negou, que tivesse liberado o imóvel como esconderijo do suspeito de ser uma alta figura na milícia que age na Zona Oeste do Rio. Depois, alegou ‘questão humanitária’ para abrigar o operador financeiro de Flávio Bolsonaro.

Segundo o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPE-RJ), Queiroz comandava o esquema das “rachadinhas” e, com dinheiro ilícito, pagara contas do primogênito de Bolsonaro. Flagrado em meio ao maior escândalo político do governo atual, Wassef foi afastado do caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *