Operação combate grupo criminoso liderado por presidiários no Maranhão

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 15 de outubro de 2019 as 10:51, por: CdB

O serviço de inteligência da PF levantou que a organização tinha uma estrutura de comando piramidal com um setor responsável por planejar e realizar tráficos de drogas.

Por Redação, com ABr – de Brasília

Uma organização criminosa especializada em tráfico de armas e drogas é alvo da Operação Intramuros, deflagrada na manhã desta terça-feira em três cidades do Maranhão: São Luís, Imperatriz e Codó. As investigações identificaram líderes de facções que comandavam as ações da quadrilha de dentro dos presídios.

A quadrilha é especializada em tráfico de armas e drogas
A quadrilha é especializada em tráfico de armas e drogas

O serviço de inteligência da PF levantou que a organização tinha uma estrutura de comando piramidal com um setor responsável por planejar e realizar tráficos de drogas, armas e outros crimes no Maranhão e em outros Estados.

Prisão

Os policiais federais cumpriram 32 mandados de prisão preventiva e 32 de busca e apreensão em endereços dos investigados. As ordens judiciais foram autorizadas pelo juiz Francisco Ronaldo Maciel Oliveira, da 1.ª Vara Criminal de São Luís.

O nome da operação, Intramuros, é uma referência ao fato de algumas lideranças da organização serem presidiários. Os investigados serão indiciados pelos crimes de tráfico de drogas, porte ilegal de armas e organização criminosa.

Crimes eleitorais em Pernambuco

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta terça-feira a Operação Guinhol para investigar crimes eleitorais e associação criminosa envolvendo integrantes de um partido político. Desde as primeiras horas da manhã, policiais federais cumprem mandados judiciais em endereços ligados aos investigados.

O inquérito policial foi instaurado por requisição do Tribunal Regional Eleitoral em Pernambuco (TRE-PE) para cumprir nove mandados de busca e apreensão.

Os investigados teriam “ocultado/disfarçado/omitido movimentações de recursos financeiros oriundos do fundo partidário, especialmente os destinados às candidaturas de mulheres, após verificação preliminar de informações que foram fartamente difundidas pelos órgãos de imprensa nacional”.

Segundo a PF, os mandados visam esclarecer se teria havido “burla ao emprego dos recursos destinados às candidaturas de mulheres, tendo em vista que ao menos 30% dos valores do Fundo Partidário deveriam ser empregados na campanha das candidatas do sexo feminino, havendo indícios de que tais valores foram aplicados de forma fictícia objetivando o seu desvio para livre aplicação do partido e de seus gestores”, diz a PF.

O nome da operação, Guinhol, faz referência a uma marionete, personagem do teatro de fantoches criado no século 19, “diante da possibilidade de candidatas terem sido utilizadas exclusivamente para movimentar transações financeiras escusas”.

Grupo criminoso

Um grupo criminoso especializado no contrabando de cigarros do Paraguai, e que usava carros alugados para a prática do crime, é alvo da Operação Smoke Rent, deflagrada na última sexta-feira, pela Polícia Federal.

“A estimativa é de que o grupo tenha transportado cerca de 200 mil maços de cigarros no período investigado, de março a outubro deste ano, com evasão de mais de R$ 1 milhão em tributos e multas junto à Receita Federal”.

Veículos

Foram detectados 20 veículos com os quais foram feitas pelo menos 25 viagens ao país vizinho, durante o período das investigações.

Segundo a PF, a quadrilha, formada por oito pessoas, usava carros alugados na tentativa de burlar a fiscalização nas rodovias e evitar a apreensão de carros próprios.

Os policiais federais estão cumprindo dez mandados de busca e apreensão em endereços ligados aos investigados na cidade de Curitiba e região metropolitana. As medidas judiciais foram expedidas pela 9ª Vara Federal da capital paranaense.

Organização criminosa

A Polícia Federal deflagrou na semana passada a Operação C.S.I, com objetivo de desmantelar organização criminosa dedicada ao crime de arrombamento de Agências dos Correios.

Estão sendo cumpridos quatro mandados de prisões preventivas nos estados da Paraíba, Mato Grosso do Sul e Paraná, As ordens judiciais foram expedidos pela 16ª Vara Federal da Paraíba. Participaram da ação cerca de 20 policiais federais.

Na madrugada do dia 8 de junho de 2018, a Agência dos Correios de Tibiri, em Santa Rita/PB, foi arrombada. A investigação apurou que, por volta das 02h00 da madrugada, um grupo de homens adentrou as dependências da agência, situada no bairro Tibiri II, na cidade de Santa Rita/PB e, mediante o uso de explosivos, teria tencionado subtrair o numerário local.

Na fuga, os ladrões abandonaram cinco veículos, os quais foram periciados e identificados os supostos responsáveis pelo ato criminoso, todos com passagens recentes por estabelecimentos prisionais do Estado.

O nome da operação (C.S.I) faz alusão à Crime Scene Investigation – C.S.I, famoso programa televisivo em que os trabalhos técnicos e científicos são bastante utilizados na elucidação de crimes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *