Operação prende doleiro no Rio de Janeiro

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 9 de julho de 2019 as 12:14, por: CdB

Uma equipe da força tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro prendeu nesta terça-feira o empresário Mario Libman.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

Uma equipe da força tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro prendeu nesta terça-feira o empresário Mario Libman. Ele é acusado de ser um dos operadores de Dario Messer, foragido e chamado de “O doleiro dos doleiros”. A ação de hoje faz parte da Operação Câmbio Desligo.

Uma equipe da força tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro prendeu nesta terça-feira o empresário Mario Libman

Mario Libman foi preso em seu apartamento em Ipanema, na zona sul. Agentes do Ministério Público Federal, da Polícia Federal e  Receita Federal procuram o filho e sócio de Mario, Rafael, que também é ex-genro de Dario Messer. As prisões temporárias foram determinadas pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal.

Mario e Rafael Libman eram sócios nas empresas Rali e Palazzo dos Artistas Empreendimentos Imobiliário, cuja sede fica em um shopping em Copacabana. Segundo as investigações, a empresa movimentou R$ 31,8 milhões entre 2011 a 2016.

Dinheiro

Parte do dinheiro, recebido entre 2012 e 2014, foi usado por Mario Libman para pagar obras na cobertura de Messer no Leblon, e outra, de quase R$ 20 milhões, para comprar terrenos e construir imóveis no nome de suas empresas Rali e Palazzo dos Artistas. Três construtoras e três condomínios residenciais também foram pagos por meio do esquema.

Messer está foragido desde maio de 2018 e tinha mais de 400 clientes em operações clandestinas com a moeda americana, entre eles o ex-governador Sergio Cabral.

Polícia prende quadrilha

A Delegacia do Consumidor (Decon) prendeu, na última sexta-feira à tarde, cinco homens acusados de venda de ingressos falsos para a final da Copa América, que ocorre neste domingo, no Estádio do Maracanã, entre as seleções do Brasil e Peru. A prisão da quadrilha teve o apoio da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core), grupo de elite da Polícia Civil.

Os agentes chegaram ao grupo a partir da denúncia de uma mulher que negociava pela Internet a compra de dois ingressos para a decisão da Copa América.

Desconfiada, ela marcou com um dos supostos vendedores nas proximidades da Cidade da Polícia, no bairro do Jacaré, na Zona Norte da cidade. Ao perceber que o ingresso parecia falso, ela acionou uma equipe da Core que passava na hora e encaminhou o suspeito com a vítima para a Decon.

A partir de informações repassadas por ele, os demais integrantes do grupo foram pesos próximo ao Terreirão do Samba, no Centro da cidade, com 21 ingressos falsificados e prontos para serem comercializados.

As investigações indicam que os bilhetes para a decisão da Copa América estavam sendo vendidos no valor de R$ 500 a R$1,5 mil. Os cinco acusados foram presos e autuados em flagrante e vão responder por estelionato, formação de quadrilha e receptação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *