Pessoas ‘assintomáticas’ podem ter sintomas ocultos da covid-19, alerta bióloga

Arquivado em: Destaque do Dia, Saúde, Últimas Notícias, Vida & Estilo
Publicado sábado, 13 de junho de 2020 as 11:52, por: CdB

Portadores de coronavírus que muitas vezes chamados assintomáticos podem não notar redução no volume pulmonar e comprometimento de sua função renal, alertou doutorada em Ciências Biológicas.

Por Redação, com Sputnik – de Londres

Portadores de coronavírus que muitas vezes chamados assintomáticos podem não notar redução no volume pulmonar e comprometimento de sua função renal, alertou doutorada em Ciências Biológicas.

Pessoas 'assintomáticas' podem ter sintomas ocultos da covid-19
Pessoas ‘assintomáticas’ podem ter sintomas ocultos da covid-19

Em declarações à Sputnik, Ancha Baranova, professora da Universidade George Mason (EUA), chamou a atenção para o fato de a maioria dos assintomáticos serem jovens, não sendo alvo da devida atenção pelos médicos.

A bióloga referiu casos em que jovens fizeram uma tomografia computadorizada (TC), por exemplo, ao pâncreas, acabando por lhes serem detectados danos pulmonares.

– Tudo isso poderia ter sido estabelecido sem uma TC, se tivesse sido usada a espirometria para verificar o tamanho dos pulmões. Se começaram a mirrar, pode ser devido ao coronavírus – afirmou Baranova.

Contudo, a espirometria, acrescentou, somente seria útil se se tivessem feito tais medições antes da pandemia, permitindo dessa forma comparar o volume pulmonar.

– Se alguém der positivo para SARS-CoV-2, mas não sentir nenhum sintoma, precisa fazer uma tomografia para ver o que está acontecendo com os pulmões – recomendou a bióloga.

Paciente infectado

Segundo Baranova, um paciente infectado com o novo coronavírus pode não notar uma diminuição da função renal. Contudo, isso pode ser determinado através de um exame de sangue por filtração glomerular.

Alguns trabalhos científicos descreveram o curso assintomático da doença em gestantes, mas após o parto, quando a placenta foi levada para análise, descobriu-se que havia a presença do novo cornavírus SARS-CoV-2.

Nestes casos, a mulher grávida “não pode ser chamada de portadora assintomática, mas de pessoa com sintomas não diagnosticados”, defendeu a bióloga.

Em sua opinião, mais do que verificar especificamente os sintomas do coronavírus, as gestantes deveriam era procurar, por ser mais seguro, não aumentar o número de contatos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *