Petrobras confirma vazamento de óleo na Bacia de Campos 

Arquivado em: Destaque do Dia, Energia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 27 de agosto de 2019 as 11:34, por: CdB

Segundo a petroleira, a FPSO Cidade do Rio de Janeiro está fora de operação desde o ano passado e em processo de saída da locação.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

A Petrobras informou que em um novo sobrevoo, realizado na segunda-feira, na área onde está localizada a plataforma FPSO Cidade do Rio de Janeiro, na Bacia de Campos, a empresa Modec, empresa que opera a unidade, verificou “a presença de óleo no mar, com volume estimado em 6,6 metros cúbicos, além do vazamento identificado e já recolhido de 1,2 metro cúbico”.

Petrobras confirma vazamento de óleo na Bacia de Campos no Rio

Na nota divulgada em continuidade ao comunicado ao mercado, realizado pela Petrobras, na manhã anterior, a companhia acrescentou que o recolhimento e a dispersão do óleo está sendo feito por sete embarcações, além de quatro de apoio e um helicóptero, para sobrevoo.

Ainda conforme a Petrobras, a Modec informou, que desde o início da ocorrência, foi constatado o aumento na extensão das trincas. Apesar disso, “o navio continua em posicionamento estável e em condições seguras, sob monitoramento permanente da Modec e da Petrobras”.

Segundo a petroleira, a FPSO Cidade do Rio de Janeiro está fora de operação desde o ano passado e em processo de saída da locação do campo de Espadarte, a 130 quilômetros da costa. A retirada das 107 pessoas embarcadas, iniciada no sábado, foi concluída na segunda-feira.

Inspeção nos tanques

No comunicado ao mercado, na manhã de segunda, a Petrobras disse que a Modec, reportou, na última sexta-feira, que após inspeção nos tanques externos da embarcação, verificou a existência de trincas no casco do navio, o que tinha provocado vazamento de aproximadamente 1,2 metro cúbico de óleo residual.

Na mesma mensagem, informou ainda que “em sobrevoo realizado na área após o evento não identificou mancha de óleo na superfície do mar”. Já naquele comunicado da manhã, apontava também que “após novas avaliações, em, foi identificado aumento na extensão das trincas. A Petrobras comunicou a ocorrência às autoridades e vem apoiando a Modec nas ações de contingência”, indicou o comunicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *